Tribuna Expresso

Perfil

  • No dia em que se comemoram 44 anos da Revolução dos Cravos, António Simões afirma que o futebol português precisa urgentemente de um 25 de Abril. Aos 74 anos, a antiga glória do Benfica, deputado da Assembleia Constituinte e da República, recorda o dia do golpe de Estado, a luta pela criação do Sindicato dos Jogadores e como se tornou persona non grata por não ter cavalgado a onda de esquerda. O capitão da Luz que jogava no lado esquerdo do Benfica e da seleção desmente que Salazar tenha impedido Eusébio de se transferir para Itália e culpa os dirigentes pela "ditadura vigente" no futebol: "Hoje, o futebol é menos democrático do que no tempo da ditadura"

  • O ténis entrou na temporada em que os campos ficam laranjas e o calçado dos tenista sujo com pó de tijolo. O que é um sinónimo para a fase da época em que Rafael Nadal parece cair no seu caldeirão de poção mágica para ninguém ser capaz de competir com ele. O espanhol venceu em Monte Carlo pela 11ª vez na carreira, sem perder um set, já é o tenista com mais torneios do Masters 1000 da história e as atenções, agora, viram-se para o sítio do costume: Roland Garros