Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

Do "ás" 10 mil de Federer ao cotovelo de Sagan: O dia desportivo em revista

O mercado interno continua a mexer, numa jornada marcada pela queda violenta de Mark Cavendish no Tour. Em Wimbledon, tudo tranquilo para os suspeitos do costume. E a Oriente, algo de novo, com Podolski a assinar contrato com um clube do Japão.

GLYN KIRK

Partilhar

Mercado interno

Os três grandes seguem nos trabalhos de preparação da nova época e na imprensa avançam-se algumas novidades. “O Jogo” assegura que o Benfica terá fechada a contratação de Ailton, lateral-esquerdo de 22 anos, ao Estoril. Já “A Bola” garante que Marcos Acuña, do Racing Avellaneda, vai ser contratação do Sporting.

No Dragão, a novidade do dia 2 de preparação foi a subida de Mikel ao relvado, mantendo-se Hernani no departamento médico. A propósito, o Vitoria de Guimarães terá já formalizado junto da SAD azul e branca a renovação dos empréstimos do avançado e de Moussa Marega.

Do ataque para a defesa, Edgar Ié foi dado como certo esta terça-feira no Lille. À Rádio Renascença, o empresário Cátio Baldé garantiu que FC Porto e Sporting fizeram propostas pelo jogador, mas a do clube francês, no valor de 6 milhões de euros, terá sido a mais atrativa.

Cavendish no hospital, Sagan na “rua”

No Tour a nota do dia vai para a expulsão de Peter Sagan (Bora-Hansgrohe) da corrida. O painel de comissários considerou que o campeão do mundo de estrada provocou a queda - bem violenta, diga-se - de Mark Cavendish na luta por uma posição no sprint. O eslovaco, que terminou a etapa em segundo, pediu desculpa pelo sucedido, mas garantiu que não teve intenção de derrubar Cavendish. O britânico ainda cruzou a meta em cima da bicicleta, mas com ferimentos no corpo e um ombro à espera de avaliação médica.

JEFF PACHOUD

A chegada caótica da etapa, com duas quedas nos últimos quilimetros, acabou por fazer sombra à vitória de Arnaud Démare, campeão francês que venceu a sua primeira etapa num Tour.

Geraint Thomas continua de amarelo à entrada da primeira etapa decisiva do programa e garante fidelidade a Froome (a 12 segundos da liderança). A chegada a La Planches dês Belles Filles, a primeira de alta montanha, é para avaliar o estado dos favoritos à vitória final.

Federer e Djokovic tiveram pouco que suar

Federer e Djokovic seguem em frente em Wimbledon com uma curiosidade: a de terem visto os adversários a desistirem ao segundo set, por lesão. Federer teve tempo para estabelecer uma nova marca: fez o “ás” 10 mil da carreira no torneio onde foi sete vezes campeão. A primeira cabeça-de-série do quadro feminino também passou o primeiro teste. A alemã Angelique Kerber bateu, com um duplo 6-4, Irina Falconi.

Para esta quarta-feira, há que colocar na agenda o regresso de Andy Murray ao court central para defrontar o homem que afastou João Sousa na primeira ronda, sendo que o ténis de Dustin Brown, também conhecido como o rei do “cool” está a fazer sucesso no torneio. Nadal também vai a jogo, com o norte-americano Donald Young como adversário.

Podolski a fazer origami

Já se sabe que o futebol ganhou novas fronteiras e são cada vez mais exóticos os destinos de jogadores com créditos firmados. O internacional alemão Lukas Podolski deixou o Galatasaray e mudou-se para o Japão, para representar o Vissel Kobe. Nas redes sociais deu conta de se estar a adaptar à cultura local.

Ainda no planeta do insólito: Da Suíça, a notícia do regresso de Djibril Cissé aos relvados para representar um clube da terceira divisão. Aos 35 anos, e depois de ter colocado um ponto final na carreira, o antigo internacional francês colocou em pausa a sua carreira como produtor musical e DJ para voltar a jogar futebol. Destino? Yverdon Sport.