Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

Ronaldo denuncia assessores fiscais e advogados

O jogador do Real Madrid apontou o dedo aos responsáveis pela assessoria fiscal no pagamento dos seus impostos que estão a ser investigados pelas autoridades espanholas. Quem Cristinano Ronaldo faz questão de ilibar é Jorge Mendes, uma pessoa "que não tem maldade nenhuma"

Christiana Martins

Venham daí: Ronaldo e a Liga Espanhola vão dar a volta ao mundo

Denis Doyle/Getty

Partilhar

A investigação sobre o pagamento de impostos de Cristiano Ronaldo avançou mais um passo. O jornal "El Mundo" avançou este sábado que o avançado do Real Madrid comunicou oficialmente ao Juiz de Instrução informação comprometedora sobre os seus assessores fiscais. Segundo o jogador, são eles os responsáveis pelos eventuais problemas que poderão constituir uma fraude avaliada em 14,7 milhões de euros. E Ronaldo apontou os nomes do escritório de advogados espanhol Garrigues, e a equipa de defesa britânica King & Wood Mallesons.

As declarações de renda e de património relativas aos exercícios fiscais de 2011, 2012 e de 2013 terão sido elaboradas pelo gabinete de Barcelona da Garrigues, estrutura de advogados que tem uma representação em Portugal desde 2005, está presente em doze países e tem dois mil advogados de mais de 25 nacionalidades. As declarações de 2014 já terão sido feitas pelo escritório King & wood Mallesons, que tem uma delegação em Madrid.

Fontes oficiais da Garrigues terão informado que o trabalho fiscal para Cristiano Ronaldo terá sido limitado à redação das declarações de rendimentos do jogador entre 2011 e 2013, com base nos elementos e informações que lhes foram transmitidas pelos consultores fiscais do avançado do Real Madrid. Um trabalho que terá custado apenas mil euros a Ronaldo, por cada uma das declarações fiscais.

O esquema passará pela criação de uma rede de sociedades nas Ilhas Virgens em 2004, ainda no período em que Cristiano Ronaldo jogava no Manchester United e tinha residência fiscal no Reino Unido, onde as Ilhas Virgens não são consideradas um paraíso fiscal.

Segundo o "El Mundo", a investigação está a tentar identificar quem foi exatamente o cérebro da alegada fraude fiscal de Cristiano Ronaldo. Na audiência perante o juiz, Ronaldo terá feito questão de frisar que "apenas sabe jogar futebol" e que os seus assuntos financeiros estavam entregues a uma equipa da sua máxima confiança.

Apenas Jorge Mendes, o agente do jogador, terá sido alvo da sua defesa."Dizendo que Mendes apenas trata da negociação dos seus contratos e que "de impostos não sabe nada", terá acrescentado Ronaldo: "Menos do que eu , inclusive, porque tem menos um ano de escolaridade e, ainda por cima não tem maldade."

Quem não terá ficado de fora das responsabilidades atribuídas por Ronaldo terá sido Carlos Osório de Castro, advogado que há vários anos acompanha o jogador. De acordo com o "El Mundo", terá sido o jurista do Porto que lhe terá recomendado a contratação da Garrigues

Partilhar