Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

Empresário confessa ter corrompido futebolistas em oito jogos do Sporting

Empresário Paulo Silva foi o único dos quatro arguidos da operação Cashball a falar à juíza de instrução

Hugo Franco, Rui Gustavo e Pedro Candeias

Partilhar

Paulo Silva é o arrependido na operação Cashball, que investiga suspeitas de corrupção em jogos de futebol e de andebol a favor do Sporting. E o único a prestar depoimento à juíza do tribunal de instrução do Porto.

Segundo o "Correio da Manhã" e a "Sic Notícias", Paulo Silva confessou ter subornado, ou tentado aliciar, jogadores de futebol em oito partidas em que participou o Sporting na última temporada.

De acordo com Paulo Silva, que trabalharia para João Gonçalves (também empresário), Gonçalo Rodrigues (funcionário do Sporting) e André Geraldes (diretor de futebol do Sporting), também aliciou dez árbitros de andebol, igualmente para favorecer o Sporting na época de 2016/17.

Durante esta quinta-feira já houve no entanto três desmentidos. O jogador João Aurélio, do Vitória de Guimarães, negou que tivesse sido pago para facilitar a vida ao Sporting. Também o capitão Nélson Lenho foi alvo da confiança do Desportivo das Aves. E Joãozinho, do Tondela, negou igualmente o alegado aliciamento. "Nem sequer conheço André Geraldes."