Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

Justiça suspeita de ‘saco azul’ em Alvalade

Autoridades encontraram 60 mil euros no gabinete de André Geraldes, diretor de futebol do Sporting. É o mesmo valor da caução aplicada ao dirigente leonino, que ficou em liberdade

Hugo Franco, Pedro Candeias e Rui Gustavo

NurPhoto/Getty

Partilhar

Os inspetores da Polícia Judiciária do Porto encontraram 60 mil euros guardados no cofre do gabinete de trabalho de André Geraldes, diretor geral de futebol do Sporting.

De acordo com a investigação, existe a suspeita de que o montante que estava em Alvalade seja um 'saco azul' de onde alegadamente seriam feitos os pagamentos a jogadores e árbitros de andebol e futebol. E que não poderiam ser contabilizados oficialmente.

André Geraldes é o principal arguido na operação Cashball, que investiga suspeitas de corrupção desportiva a favor do Sporting. Esta quinta-feira, ficou em liberdade, tal como os restantes três arguidos, os empresários Paulo Silva e João Gonçalves e o funcionário do Sporting Gonçalo Rodrigues.

O dirigente não pode entrar nas instalações do clube nem contactar com outros suspeitos. E terá de pagar uma caução de 60 mil euros, o mesmo valor encontrado no cofre em Alvalade.