Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

Ainda a polémica do hino nacional. Trump cancela encontro com vencedores do Super Bowl

Os Philadelphia Eagles tinham uma visita à Casa Branca agendada para esta terça-feira. Trump justificou o cancelamento com a alegada recusa da equipa em acatar o seu pedido para os jogadores se levantarem durante o hino nacional. Na última temporada, alguns jogadores do campeonato ajoelharam-se durante o hino em protesto contra os disparos fatais da polícia sobre homens negros desarmados. Trump acusou-os de antipatriotismo

Expresso

Partilhar

O Presidente dos EUA, Donald Trump, cancelou a visita à Casa Branca dos Philadelphia Eagles, os campeões do Super Bowl, agendada para esta terça-feira. Trump justificou o cancelamento com a alegada recusa da equipa em acatar o seu pedido para os jogadores se levantarem durante o hino nacional.

“Eles discordam do seu Presidente porque este insiste que se levantem orgulhosamente, de mão no coração, em homenagem aos grandes homens e mulheres militares e ao povo do nosso país”, disse Trump.

Segundo o Presidente norte-americano, os Eagles, que em fevereiro derrotaram os New England Patriots no final do campeonato de futebol americano, queriam enviar uma delegação menor, mas ele recusou, dizendo que “os mil fãs que planeiam participar no evento merecem mais”. “Esses fãs continuam convidados para a Casa Branca para participarem num tipo diferente de cerimónia – uma cerimónia que honrará o nosso grande país, prestará tributo aos heróis que lutam para o proteger e, de forma audível e orgulhosa, tocará o hino nacional”, acrescentou.

Na última temporada, alguns jogadores do campeonato ajoelharam-se durante o hino em protesto contra os disparos fatais da polícia sobre homens negros desarmados. Trump acusou-os de serem antipatriotas e exigiu repetidamente o fim dos protestos.

O senador democrata, Bob Casey, da Pensilvânia, convidou a equipa a visitar o Capitólio e classificou a ação de Trump como “uma manobra política”.