Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

Volume de negócios do futebol português cresce 6%. Distribuição das receitas televisivas é desigual

Relatório da Deloitte coloca o campeonato português em nono lugar numa lista de 14 ligas que são objeto de análise

Partilhar

Os 18 clubes da Primeira Liga portuguesa de futebol faturaram 366 milhões de euros durante a época de 2016/17, de acordo com o relatório anual sobre a situação financeira deste desporto, elaborado pela consultora Deloitte. A informação divulgada nesta quinta-feira indica que o volume de receitas gerado pelo principal escalão do futebol em Portugal cresceu 6% em comparação com a época anterior.

O relatório coloca o campeonato português em nono lugar numa lista de 14 ligas que são objeto de análise, atrás das cinco maiores, um quinteto que integra, por ordem de dimensão, Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França, bem como da Turquia, Rússia e Holanda. A maior fatia das receitas alcançadas pelos clubes portugueses da Primeira Liga teve origem nas transmissões televisivas, que proporcionaram 190 milhões de euros e representaram mais de metade do volume de negócios total.

Este desempenho, porém, não é pacífico sob o ponto de vista da Deloitte. A consultora sublinha que Portugal é, atualmente, o único país onde os direitos televisivos são vendidos individualmemnte pelos clubes. Em consequência, a distribuição do "bolo" é desigual e está concentrada nos chamados três grandes: Benfica, Porto e Sporting.

As receitas geradas pelos patrocínios atingiram, na época de 2016/17, 88 milhões de euros, enquanto o volume de negócios proveniente das bilheteiras se situou em 51 milhões de euros.

As cinco maiores ligas europeias deram o contributo mais importante para o facto de o mercado europeu de futebol ter atingido um valor recorde, ao superar 25,5 mil milhões de euros em receitas, refere o relatório. Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França registaram um progresso de 1,3 mil milhões na comparação com a época anterior e garantiram mais de 57% a das receitas totais geradas nas 14 ligas analisadas.

O documento assinala que "os clubes da Premier League continuam muito destacados da concorrência, tendo gerado uma receita combinada de 5,3 mil milhões de euros em 2016/17, face aos 4,9 mil milhões de euros em 2015/16". Este desempenho é explicado pela circunstância de "o novo ciclo de direitos de transmissão da primeira divisão inglesa ter "permitido a todos os clubes da Premier League gerarem uma receita recorde".