Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Rali da Alemanha: Andreas Mikkelsen na frente

O francês Sébastien Ogier, que viu o piloto norueguês “saltar” para o comando, tem contestado, de forma sistemática, a nova regra para a ordem de partida para cada dia, considerando que tem sido penalizado nas provas em piso de terra

Pedro Roriz

Massimo Bettiol/ Getty Images

Partilhar

O regresso do WRC às especiais de asfalto, o que deixa de penalizar quem abre a estrada, não permitiu ao francês Sébastien Ogier (VW Polo R WRC) chegar no comando, ao final da primeira etapa.

Mais rápido na classificativa de abertura, o francês não evitou um pião, na segunda, e viu o norueguês Andreas Mikkelsen (VW Polo R WRC) “saltar” para o comando, posição que manteve até ao final do dia, para terminar com uma vantagem de 4,3” sobre o campeão do mundo.

Recorde-se que Sébastien Ogier tem contestado, de forma sistemática, a nova regra para a ordem de partida para cada dia, considerando que tem sido penalizado nas provas em piso de terra, mas desta vez foi um erro próprio que o arredou do comando, com Andreas Mikkelsen a resistir ao longo do dia à pressão do seu adversário.

Mas se colocou dois carros nas duas primeiras posições, a VW viu o finlandês Jari-Matti Latvala desistir, poucos quilómetros após a partida, em consequência de um problema com a caixa de velocidades

Um abandono que vai impedir a VW de poder tentar monopolizar o pódio, como seria desejo dos seus pilotos na despedida do diretor desportivo, Jost Capito, que deixa a VW, para rumar à McLaren, com o objetivo de ajudar à progressão da equipa de Woikng.

Bom começo a Hyundai, com a marca sul-coreana a colocar o belga Thierry Neuville e o espanhol Dani Sordo, nos lugares seguintes, com os quatro primeiros a terminarem o dia de abertura separados por 12,7”.

Entre os RC2, o alemão Armin Kremer (Skoda Fabia R5) ocupou o comando desde o arranque e terminou o dia com 26,7” de avanço sobre o sueco Pontus Tidemand (Skoda Fabia R5), que fecha o “top ten”

Classificação no final da 1.ª etapa:

1.º, Andreas Mikkelsen/Anders Jaegger (VW Polo R WRC), 59’42,6”;
2.º, Sébastien Ogier/Julien Ingrassia (VW Polo R WRC), a 4,3”;
3.º, Thierry Neuville/Nicolas Gilsoul (Hyundai New i20 WRC), a 5,9”;
4.º, Dani Sordo/Marc Marti (Hyundai New i20 WRC), a 12,7”;
5.º, Ott Tanak/Raigo Molder (Ford Fiesta RS WRC), a 55,4”;
6.º, Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau (Citroen DS3 WRC), a 1’06,6”;
7.º, Mads Ostberg/Ola Floene (Ford Fiesta RS WRC), a 1’32,4”;
8.º, Hayden Paddon/John Kennard (Hyundai New i20 WRC), a 1’45,0”;
9.º. Armin Kremer/Pirmin Winklhofer (Skoda Fabia R5), a 3’03,1” (1.º RC2);
10.º, Pontus

Tidemand/Jonus Andersson (Skoda Fabia R5), a 3’29,8”. Estão classificadas mais 54 equipas.

Anulado o Rali da China

Na semana do Rali da Alemanha, a FIA anunciou a anulação do Rali da China, a prova que estava a seguir no calendário, como consequência dos estragos provocados nas estradas, cuja utilização era planeada, pelas fortes chuvadas verificadas em Julho.

Apesar dos esforços feitos pelos organizadores para encontrarem condições, financeiras, para recuperarem os traçados tal não foi possível e a deslocação de Michele Mouton ao local serviu para a francesa confirmar que não havia condições para a prova ter lugar.

O WRC iria regressar à China, por pressão dos construtores, onde não estava desde 1999, com a edição seguinte a ser cancelada por questões financeiras, com a prova chinesa a manter-se fora da estrutura do “Mundial”.

Como consequência o calendário fica reduzido a 13 provas e a próxima só terá lugar no final de Setembro, na Córsega.