Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Ralis: Sébastien Ogier com o título mundial à mão

Ao entrar para a prova catalã com 68 pontos de vantagem sobre o norueguês Andreas Mikkelsen e 73 sobre o belga Thierry Neuville, quando há 84 pontos em jogo, basta ao francês terminar a prova com uma vantagem de 56 pontos para assegurar o quarto título consecutivo

Pedro Roriz

Sébastien Ogier durante o “shakedown” do Rali da Catalunha, esta manhã

NIKOS MITSOURAS / EPA

Partilhar

O francês Sébastien Ogier (VW Polo R WRC) tem tudo a seu favor para sair do Rali da Catalunha com o quarto título de campeão mundial na mão, o que lhe permitirá juntar-se aos finlandeses Juha Kankkunen e Tommi Makinen no rol dos tetracampeões.

Ao entrar para a prova catalã com 68 pontos de vantagem sobre o norueguês Andreas Mikkelsen (VW Plo R WRC) e 73 sobre o belga Thierry Neuville (Hyundai i20 WRC), quando há 84 em jogo, basta ao francês terminar a prova com uma vantagem de 56 pontos para assegurar a revalidação do cetro e não parece difícil que isso possa suceder.

Se no primeiro dia o facto de abrir a estrada o pode prejudicar por as especiais serem em terra, Ogier tem depois dois dias de classificativas em asfalto para recuperar o eventual atraso desde que não cometa o erro que lhe roubou a vitória em 2015, quando saiu da estrada em plena “power stage”.

Sem nada a perder, o norueguês e o holandês que o perseguem terão que assumir o papel de principais adversários do francês, muito embora seja admissível que no final desta sexta-feira possa ser o inglês Kris Meeke (Citroën DS3 WRC) a liderar a classificação, dado o à vontade que tem exibido nas provas de terra.

Por falar em Citroën, a marca francesa confirmou Kris Meeke, Craig Breen e Stéphane Lefebvre como piloto oficiais para 2017, ano em que cada marca vai poder inscrever três carros em cada rali mas pontuando apenas os dois mais rápidos para o Mundial de Construtores. Lefebvre “substitui” o belga Thierry Neuville, que renovou com a Hyundai, e que a Citroën contratar.

A jogar em casa, Dani Sordo (Hyundai i20 WRC) pode também surpreender e entrar na discussão das primeiras posições.

Uma superespecial esta tarde, nas ruas de Barcelona, abre a parte competitiva do Rali da Catalunha, única prova do Mundial que decorre nos dois tipos de piso (terra e asfalto). Se a abertura vai servir para mostrar os participantes numa classificativa que privilegia o espetáculo, a partir desta sexta-feira o rali começa a sério, com os concorrentes a terem de enfrentar uma dupla passagem por três troços em terra (num total de 115,90 km cronometrados) que podem penalizar o tricamkpeão Ogier.

Mas no sábado, com dupla passagem por mais três classificativas em asfalto, a que se juntam um troço feito uma única vez e a superespecial de Salou, e no dia seguinte, com dois troços feitos por duas vezes, sempre em estradas alcatroadas, o francês pode reverter a situação e garantir os pontos necessários para a quarta revalidação sucessiva do título.

Classificações atuais:

PILOTOS – 1.º, Sébastien Ogier, 195 pontos; 2.º, Andreas Mikkelsen, 127; 3.º, Thierry Neuville, 112; 4.º, Hayden Paddon, 102; 5.º, Jari-Matti Latvala, 101; 6.º, Dani Sordo, 92; 7.º, Mads Ostberg, 80; 8.º, Kris Meeke, 54; 9.º, Ott Tanak, 53; 10.º, Craig Breen, 35; 11.º, Eric Camilli, 27; 12.º, Henning Solberg, 14; 13.ºs, Stéphane Lefebvre, Martin Prokope Esapekka Lappi, 12; 16.º, Teemu Suninen, 8; 17.ºs, Marcos Ligato, Elfyn Evans e Pontus Tidemand, 6; 20.ºs, Lorenzo Bertelli e Kevin Abbring, 4; 22.º, Jan Kopecky, 3: 23.ºs, Nicolas Fuchs e Armin Kremer, 2; 25.º Valeriy Gorban, 1 ponto.

MARCAS – 1.º, VW Motorsport, 289 pontos; 2.º, Hyundai Motorsport, 227; 3.º, VW Motorsport II, 136; 4.º, M-Sport World Rally Team, 132; 5.º, Hyundai Motorsport N, 106; 6.º, DMack World Rally Team, 6; 7.º, Jipocar Czech National Team, 18; 8.º, Yazeed Racing, 4 pontos.