Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Rali de Portugal com novidades em 2017

A classificativa na baixa do Porto muda-se para o centro histórico de Braga, não sendo de descartar a possibilidade de as duas cidades alternarem no futuro esta “street stage”, com a Invicta a servir de cenário nos anos pares e a cidade minhota nos anos ímpares

Pedro Roriz

Massimo Bettiol / Getty Images

Partilhar

Embora só vá para a estrada em maio do próximo ano, a próxima edição do Vodafone Rali de Portugal está pronta no papel, havendo agora que pôr de pé o que está projetado. E se este ano o rali foi uma cópia da edição anterior, com a exceção da Porto Street Stage, para 2017 estão prometidas algumas novidades.

Segundo Pedro de Almeida, diretor da corrida, "as novidades não são muitas, porque sem levar em conta as segundas passagens pelos troços, só há 55 quilómetros novos, contra 90 quilómetros que são iguais e outros 55 que se correm em sentido contrário".

O rali volta a começar em Guimarães e terá a Supersspecial de Lousada como classificativa de abertura, a exemplo do que sucedeu este ano. No primeiro dia repetem-se os troços de Viana do Castelo, Caminha e Ponte de Lima, com o primeiro a aumentar a sua extensão de 18,7 para 27,7 quilómetros, enquanto os outros dois serão percorridos em sentido contrário ao efetuado este ano.

A jornada terminará com mais uma novidade, a Braga Street Stage, que terá por cenário o centro histórico da cidade, não sendo de descartar a possibilidade de Porto e Braga alternarem este tipo de classificativa, com a Invicta a servir de cenário nos anos pares e a cidade minhota nos anos impares.

Novidades no segundo dia: a prova de classificação de Vieira do Minho, que o ano passado antecedeu a “power stage”, abrirá a jornada, mantendo-se a versão de 2016, a que se seguem os troços de Cabeceiras de Basto, que rende o de Baião, desenhado na Serra da Cabreira, com um aproveitamento diferente das florestais, e Amarante, o mais extenso (37,5 quilómetros), inalterável em relação a este ano.

O último dia será centrado em Fafe, onde têm lugar as derradeiras quatro especiais. Abrirá com a primeira passagem por Fafe/Lameirinha, que mais tarde acolherá a “power stage” de fecho do rali, havendo uma passagem por Fafe/Luilhas e Fafe/Montim e um reagrupamento no centro da cidade, antes do troço final e com pontos extra.