Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Sexta “dobradinha” da Mercedes

A exemplo do que sucedeu a semana passada em Austin (Estados Unidos), os “Mercedes boys” dominaram o GP do México e alcançaram a sexta “dobradinha” da temporada

Pedro Roriz

ULISES RUIZ BASURTO/EPA

Partilhar

Os dois pilotos dos “flechas de prata” cumpriram à risca a estratégia que tinham definido, com o inglês Lewis Hamilton, que largou da “pole”, a gerir a corrida, cujo comando só perdeu quando foi o primeiro a parar para trocar de pneus. Quando regressou, limitou-se a gerir a vantagem sobre o seu companheiro de equipa.

Foi a 51.ª vitória de Lewis Hamilton, que iguala o número de triunfos do francês Alain Prost.

Por sua vez, alemão Nico Rosberg, que sabe que lhe basta ser segundo nas corridas que faltam, atrás do seu colega de equipa para conquistar o título, seguiu o inglês sem correr riscos, mas teve de se defender, na parte final, dos ataques do alemão Max Verstappen (Red Bull/TAG/Heuer), que podia ter sido um precioso auxiliar do inglês se tivesse conseguido chegar ao segundo lugar.

Ao falhar a ultrapassagem, o holandês viu o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) colocar-se em posição de chegar ao derradeiro lugar do pódio, mas defendeu-se de todas as maneiras, acabando por sair da pista e a ela regressar à frente do piloto da Ferrari. Isso custou-lhe cinco segundos de penalização e a queda de terceiro para quinto, atrás ainda do seu colega de equipa, o australiano Daniel Ricciardo.

Excelente corrida do alemão Nico Hulkenberg (Force Índia/Mercedes), autor de um excelente arranque que o levou ao quarto lugar, mas que não teve depois”argumentos” para resistir à pressão dos pilotos das equipas que têm dominado a temporada.

Em qualquer dos casos, o seu resultado permitiu à Force Índia manter nove pontos de avanço sobre a Williams na luta pelo quarto lugar entre os construtores.

A corrida mexicana ficou ainda marcada pelo intenso duelo travado entre o brasileiro Felipe Massa (Williams/Mercedes) e o mexicano Sergio Perez (Force India/Mercedes), com o piloto da casa a tentar tudo por tudo para ultrapassar o adversário, mas a não conseguir fazê-lo, nem mesmo com a ajuda do DRS, devido à maior velocidade de ponta do Williams.

Classificação – 1.º, Lewis Hamilton (Mercedes MGP W07/Mercedes), 71 voltas (305,354 km km), em 1.40’31,402” (182,258 km/h); 2.º, Nico Rosberg (Mercedes MGP W07/Mercedes), a 8,354”; 3.º, Sebastian Vettel (Ferrari SF16-H/Ferrrari), a 17,313”; 4.º, Daniel Ricciardo (Red Bull RB12/TAG-Heuer), a 20,858”; 5.º, Max Verstappen (Red Bull RB12/TAG-Heuer), a 21,323”; 6.º, Kimi Raikkonen (Ferrari SF16-H/Ferrari), a 49,376”; 7.º, Nico Hulkenberg (Force Índia VJM09/Mercedes), a 58,891”; 8.º, Valtteri Bottas (Williams FW38/Mercedes), a 1’05,612”; 9.º, Felipe Massa (Williams FW38/Mercedes), a 1’16,206; 10.º, Sergio Perez (Force India VJM09/Mercedes), a 1’16,798”; 11.º, Marcus Ericsson (Sauber C35/Ferrari), a 1 volta; 12.º, Jenson Button (McLaren MP4-31/Honda), a 1 volta; 13.º, Fernando Alonso (McLaren MP4-31/Honda), a 1 volta; 14.º, Jolyon Palmer (Renault RS16/Renault), a 1 volta; 15.º, Felipe Nasr (Sauber C35/Ferrari), a 1 volta; 16.º, Carlos Sainz (Toro Rosso STR11/Ferrari), a 1 volta; 17.º, Kevin Magnussen (Renaulr RS16/Renault), a 1 volta; 18.º, Daniil Kvyat (Toro Rosso STR11/Ferrari), a 1 volta; 19.º, Esteban Gutierrez (Haas VF-16/Ferrari), a 1 volta; 20.º, Romain Grosejan (Haas VF-16/Ferrari), a 1 volta; 21.º, Esteban Ocon (Manor MRT05/Mercedes), a 2 voltas;

Classificações dos Mundiais, depois da prova mexicana:

PILOTOS – 1.º, Nico Rosberg, 349 pontos; 2.º, Lewis Hamilton, 320; 3.º, Daniel Ricciardo, 239; 4.º, Sebastian Vettel 192; 5.º, Kimi Raikkonen, 178; 6.º, Max Verstappen, 175; 7.º, Sergio Perez, 85; 8.º, Valtteri Bottas, 85; 9.º, Nico Hulkenberg, 60; 10.º, Fernando Alonso, 52; 11.º, Felipe Massa, 51; 12.º, Carlos Sainz, 38; 13.º, Romain Grosjean, 29; 14.º, Daniil Kvyat, 25; 15.º, Jenson Button, 21, 16.º, Kevin Magnussen, 7; 17.º, Stoffel Vandoorne, Pascal Wehrlein, Jolyon Palmer, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 679 pontos; 2.º, Infiniti Red Bull Racing, 422; 3.º, Scuderia Ferrari, 370; 4.º, Sahara Force Índia F1 Team, 145; 5.º, Williams Martini Racing, 136; 6.º, McLaren/Honda, 74; 7.º, Scuderia Toro Rosso, 55; 7; 8.º, Haas F1 Team, 29; 9.º, Renault Sport F1 Team, 8; 10.º, Manor Racing MRT, 1.

Próxima prova – GP do Brasil, no Circuito José Carlos Pacer (Interlagos), dia 13 de Novembro