Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Rali do Algarve: fim de festa em piso de asfalto

Já campeão nacional, José Pedro Fontes tem tudo a seu favor para somar a quinta vitória do ano, uma vez que o piso de asfalto da prova algarvia é o seu favorito

Pedro Roriz

Jorge Cunha

Partilhar

O Rali Casinos do Algarve encerra este fim de semana o Campeonato Nacional de Ralis (CNR), que já tem como vencedores anunciados: José Pedro Fontes (pilotos), que revalidou o cetro, e Inês Ponte (navegadores), que se estreia na lista de campeões.

Um ano depois de ter encerrado o CNR com uma prova em pisos de terra, centrada em Loulé, a prova algarvia volta a fechar o calendário de ralis mas muda de tipo de piso, de terra para asfalto, e também de cidade, de Loulé para Portimão.

Para já, a organização, a cargo do Clube Automóvel do Algarve, conseguiu o inegável êxito de contar com a quase totalidade dos envolvidos no CNR, apesar da questão do título estar resolvida.

Vencedor de quatro ralis (Serras de Fafe, Vidreiro/Centro de Portugal, Vinho Madeira e Casino de Espinho) dos sete realizados, José Pedro Fontes (Citroën DS3 R5) tem tudo a seu favor para somar a quinta vitória do ano, uma vez que o piso de asfalto é o seu favorito, como consequência das muitas temporadas que passou a competir nas provas de velocidade.

João Barros (Ford Fiesta R5), que ganhou em Castelo Branco, e Pedro Meireles (Skoda Fabia R5), que triunfou em Mortágua, perfilam-se como os seus mais diretos opositores – Ricardo Moura, vencedor nos Açores, está ausente – e estarão apostados em colocar em causa a superioridade do campeão nacional.

Curiosidade também em redor daquilo que Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5) poderá fazer: a evolução ao longo do ano foi significativa e nas duas últimas provas subiu ao pódio, onde só lhe falta ocupar o lugar mais alto.

Por decidir, no derradeiro rali da temporada, está o título de duas rodas motrizes, com Diogo Gago (Peugeot 208 R2), Gil Antunes (Renault Clio RS R3T) e Paulo Neto (Citroën DS3 R3T) a puderam arrebatar o cetro. Há várias hipóteses em jogo, embora as possibilidades de Paulo Neto sejam mais aritméticas do que reais, já que todos vão contabilizar a totalidade de pontos alcançados na prova algarvia.

De referir ainda a estreia de Ricardo Teodósio, que “joga em casa”, ao volante de um Porsche 997 GT3.

O Rali Casinos do Algarve pontua também, para o Campeonato Ralis FPAK – Asfalto, que conta com a participação de seis das 29 equipas presentes.

A estrada

A prova algarvia divide-se pelos dois dias do fim de semana. Este sábado, os concorrentes partem de Portimão (14h), cumprem uma dupla passagem pelas especiais de Chilrão (14,99 km – 15h03 e 16h36) e Alferce (14,63 km – 15h38 e 17h11) e encerram o dia com uma superespecial (21h), desenhada nas ruas da cidade de Lagos, antes de regressarem ao local de partida (22h25).

No domingo, a caravana deixa Portimão (9h), passa duas vezes pelas classificativas de Monchique (9,93 km – 10h e 11h01) e Foia (20,07 km – 10h23 e 11h24) e chega ao local de partida (12h34).