Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Serenata à chuva

Uma noite inteira a chover não bastou para inundar a pista das AFN 24 Horas TT de Fronteira mas tornou-a muito escorregadia durante a sessão de treinos de sexta-feira à tarde

Rui Cardoso

O Patrol GR em mais uma curva apertada

Foto XTROD

Partilhar

Agora já sei como um quadrado de margarina se deve sentir quando é deitado numa frigideira quente. Anda de um lado para o outro a escorregar e parece que nunca mais pára. Era mais ou menos assim que estava o “terródromo” de Fronteira durante os treinos de sexta-feira à tarde. Efeitos de uma noite inteira a chover num piso que já nos dias anteriores tinha recebido alguma água.

Os treinos de qualificação para uma corrida TT que vai durar 24 horas são como uma eliminatória da Taça de Portugal entre uma equipa grande e uma pequena: há pouca coisa a ganhar e muita a perder. Exceto para o restrito lote de pilotos que disputa os primeiros lugares, é rigorosamente indiferente arrancar da 10ª fila da grelha de partida, da 18ª ou da 25ª. Em contrapartida uma traseirada num sobreiro ou um despiste para uma vala seguido de capotanço podem significar uma noite inteira de “bricolage” na box, se é que o carro fica em estado de andar.

Era nisto que pensava enquanto rodava na segunda volta dos treinos e depois de ser ultrapassado por uma série de “aviões” vi o mais improvável dos adversários a pedir passagem: um verdadeiro Mercedes 300 pintado de táxi e com luzes no tejadilho e tudo. Passou mas, quilómetro e meio depois, antes da segunda passagem de nível, o concorrente 82 já estava encostado à direita, aparentemente com problemas de motor. Ou talvez estivesse a apanhar um cliente.

Um Mercedes Táxi a correr no TT

Um Mercedes Táxi a correr no TT

Foto XTROD

Outros tentam desafiar as leis da física como uma pickup que me tentou passar num ponto estreito onde, à evidência, nem duas motas cabiam lado a lado, quanto mais dois jipes. O guarda-lamas traseiro esquerdo do nosso Patrol absorveu o impacto tão bem ou melhor que os escudos do Enterprise do Capitão Kirk na série Star Trek a defletir feixes de raios disparados pelas naves Kinglon.

Mais adiante num S a descer pareceu-me que a frente do carro queria ir ao alto de um barranco conhecer mais de perto umas simpáticas oliveiras. Gosto muito de fazer as vontades ao meu querido Nissan Patrol mas esta teria dado asneira da grossa.

E assim se fez a nossa sessão de treinos cronometrados. Na grelha de partida, ou se está na primeira fila ou então, quanto mais para trás melhor. Senão, como vos haveria amanhã de descrever as emoções da largada?

No que respeita aos primeiros lugares é notável que com a pista nestas condições se consigam fazer tempos equivalentes aos de um ano sem chuva, ou seja abaixo da barreira dos dez minutos. Foi o caso do Nissan Protótipo de Alexandre Andrade que fez 9.54. Ricardo Porém, ex-campeão nacional fez 10.13 em MMP EVO, seguindo-se o italiano Paolo Baccehella em BMC com 10.23.

No sábado, com chuva ou sem ela, há mais e a largada para 24 horas de muita emoção será às 14h.