Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

CNR – Rali Serras de Fafe. Ricardo Moura (Ford Fiesta R5) na frente

Cumpridas as primeiras sete especiais do Rali Serras de Fafe, prova de abertura do Campeonato Nacional de Ralis (CNR), Ricardo Moura (Ford Fiesta R5) comanda com 31,3” de vantagem sobre Pedro Meireles (Skoda Fabia R5)

Pedro Roriz

Partilhar

O piloto açoriano, que, em princípio, não vai alinhar em todas as provas do campeonato, instalou-se no comando logo no início do rali e manteve o primeiro lugar até ao final do dia, depois de ter sido o mais rápido em quatro das sete especiais da primeira secção.

Pedro Meireles (Skoda Fabia R5) assumiu, desde o início, o papel de principal opositor do piloto do Ford, mas um problema de motor na segunda passagem pelo Confurco fê-lo perder 28,3”, para Ricardo Moura, e cair para terceiro, atrás ainda de José Pedro Fontes (Citroen DS3 R5).

Mas nas duas especiais seguintes o piloto do Skoda, que já tinha sido o mais veloz no segundo troço, foi o mais rápido, recuperou parte do tempo perdido e chegou à dupla passagem pela Fafe Street Stage, com uma vantagem de 0,7” sobre o piloto do Citroen, avanço esse dilatado para 3,5”. É com essa diferença que vão partir, amanhã, para a segunda secção.

E se Ricardo Moura parece em posição de poder chegar à vitória, face à vantagem de que dispõe, a luta pelos outros dois lugares do pódio vai ser intensa, com José Pedro Fontes, apostado em neutralizar o avanço de Pedro Meireles.

Mais curta (1,5”) é a distância que separa o quarto, João Barros (Ford Fiesta R5), do quinto, Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5), pelo que, também aqui, irá haver luta cerrada, com os dois na expectativa que alguns dos seus adversários tenha problemas para poder chegar ao pódio.

Após um ano de ausência, Paulo Meireles (Skoda Fabia R5) voltou à estrada e terminou o dia num excelente sexto lugar, com o piloto a revelar-se cada vez mais rápido à medida que as classificativas se sucediam, e terminou o dia a escassos 18,9” de Miguel Barbosa, diferença que pode ser anulada nos 64,75 km das cinco especiais de amanhã.

Ou seja, amanha, a luta pelo quarto, quinto e sexto lugares vai ser intensa. Entre os que utilizam carros de duas rodas motrizes, Pedro Antunes (Peugeot 208 R2), 10.º da geral tem sido de forma consistente o mais rápido e é comandante destacado da categoria, com mais de um minuto de avanço sobre Paulo Neto (Citroen DS3 R3T Max)

O Rali Serras de Fafe conta, também, para a Taça Nacional de Ralis de Terra, com Fernando Peres (Mitsubsihi Lancer IX) a terminar o primeiro dia no comando, com 30,1” de avanço sobre Ricardo Matos (Mitsubishi Lancer IX), depois de ter sido o mais rápido em seis das sete especiais percorridas, o que lhe permitiu recuperar os 17,0” perdidos para o seu adversário na classificativa de abertura.

Amanhã, os concorrentes cumprem a segunda secção que começa (08.30) e acaba (13.10) na Praça das Comunidades, com as equipas a passarem três vezes pelo troço de Luilhas (11,91 km – 09.16, 10.42 e 12.08) e duas pelo de Lameirinha (14,51 km – 10.04 e 11.30), a mais extensa classificativa da prova, num excelente treino para a derradeira etapa do Vodafone – Rali de Portugal.

Classificação geral no final da 1.ª secção

1.º, Ricardo Moura/António Costa (Ford Fiesta R5), 44’30,3; 2.º, Pedro Meireles/Mário Castro (Skoda Fabia R5), a 31,3”; 3.º, José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroen DS3 R5), a 34,8”, 4.º, João Barros/Jorge Henriques (Ford Fiesta R5), a 1’09,2”; 5.º, Miguel Barbosa/Miguel Ramalho (Skoda Fabia R5), a 1’10,7”; 6.º, Paulo Meireles/Marcos Gonçalves (Skoda Fabia R5), a 1’29,6”; 7.º, Carlos Vieira/Jorge Eduardo Carvalho (Citroen DS3 R5), a 2’46,1”; 8.º, Ricardo Teodósio/José Teixeira (Mitsubishi Lancer X), 3’02,9”; 9.º, Hugo Mesquita/Valter Cardoso (Skoda Fabia S2000), a 3’10,8”; 10.º, Pedro Antunes/João Leones (Peugeot 208 R2), a 4’52,7”. Estão classificadas mais 12 equipas.