Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Polaco Kajetanowicz no comando do rally Açores

Kajetan Kajetanowicz (Ford Fiesta R5) acaba o dia no comando da edição de 2 017 do Azores Airlines Rally, depois do primeiro lugar ter mudado de mãos ao longo das quatro especiais

Pedro Roriz

Partilhar

Mais rápido na “Street Stage” de Lagoa, o russo Alexey Lukaynuk (Ford Fiesta R5) foi o primeiro comandante da prova, mas logo a seguir, nos Remédios, Ricardo Moura (Ford Fiesta R5) impôs-se e assumiu o comando da prova, com 0,3” de avanço sobre o russo.

Mas seriam os 13,47 km da especial Vila Franca-São Braz a “cavar” as diferenças entre os dois primeiros e o piloto da casa.

O russo foi o mais rápido, bateu o polaco por 0,1”, regressou ao primeiro lugar, e ganhou 9,6” a Ricardo Moura que explicaria o facto não só pelo «excessivo desgaste dos pneus», mas também «porque em troços muito encadeados, como é o caso, eles acabam por ter vantagem», com o açoriano a revelar que «amanhã vou tentar não os deixar fugir e procurar escapar dos que me perseguem»

Finalmente na Super Especial do Grupo Marques, mais uma vez um sucesso em termos de público, Kajetan Kajetanowicz ganhou 2,0” a Alexey Lukayanuk e com essa diferença ascendeu ao comando com 1,1” de avanço sobre o seu adversário.

Perante tal situação, o dia de sexta-feira promete um cerrado duelo entre os dois pilotos, com Ricardo Moura a seguir essa luta de forma atenta, com o objetivo de poder vir “a tirar as castanhas do lume”.

O letão Ralfs Sirmacis (Skoda Fabia R5) terminou o dia em quarto, 2,2” à frente do regressado Bruno Magalhães (Skoda Fabia R5), «satisfeito com o resultado, porque, depois das dificuldades que temos tido para encontrar apoios, não esperava conseguir estar tão perto dos que participam no “Europeu”», com o piloto, que se estreia ao volante do carro da marca checa, a considerar que «temos de alterar as afinações para o carro ficar mais ao meu gosto».

Carlos Vieira (Citroen DS3 R5), 15.º da geral, é o terceiro dos portugueses, à frente de Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5), 15.º, de João Barros (Ford Fiesta R5), 17.º, Pedro Meireles (Skoda Fabia R5), 18.º, e Luís Miguel Rego (Ford Fiesta R5), o segundo classificado entre os açorianos.

Pedro Meireles, que vinha apostado em alcançar um bom resultado para reentrar na corrida pelo primeiro lugar do campeonato, mas que está já a 45,4” de Ricardo Moura reconheceu que «fiquei aquém das expectativas, porque fiz muitas “asneiras” em Vila Franca e porque a afinação do carro está longe de ser a ideal».

A etapa de sexta-feira

Pico da Pedra – Golf (7,02 km – 10.43 e 14.43), Feteiras Meo (7,46 km – 11.22 e 15.22) e Sete Cidades (25,62 km – 11.53 e 15.53), a mais extensa especial da prova, constituem o lote de classificativas a percorrer no segundo dia da prova açoriana, com a dupla passagem pelas Sete Cidades a poder provocar profundas alterações na classificação, não só pela sua extensão, mas também pelas “armadilhas” que encerra.

Classificação geral no final da 1.ª etapa:

1.º, Kajetan Kajetanowicz/Jaroslaw Baran (Ford Fiesta R5), 18’44,3”; 2.º, Alexey Lukyanuk/Alexey Arnautov (Ford Fiesta R5), a 1,1”; 3.º, Ricardo Moura/António Costa (Ford Fiesta R5) a 13,8”; 4.º, Ralfs Sirmacis/Arturs Simins (Skoda Fabia R5), a 17,3”; 5.º, Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Skoda Fabia R5), a 19,5”; 6.º, Nikolay Gryazin/Yaroslav Fedorov (Skoda Fabia R5), a 21,9”; 7.º, Marijan Griebel/Stefan Kopczyk (Skoda Fabia R5),a 22,5”; 8.º, Jose Antonio Suarez/Candido Estevez (Peugeot 208 T16 R5), a 23,7”; 9.º, Jan Cerny/Petr Cernohorsky (Skoda Fabia R5), a 34,2”; 10.º, Jaroslaw Koltun/Ireneusz Pleskot (Ford Fiesta R5), a 42,02.