Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

À segunda corrida do ano, o primeiro pódio para Miguel Oliveira

Piloto português foi 2.º na corrida do Moto2 do GP Argentina, naquele que é o seu primeiro pódio desde que subiu à categoria intermédia. Oliveira partiu da pole, andou quase toda a corrida em 3.º e acabou por beneficiar da queda de Alex Marquez na última volta

Pedro Roriz e Lídia Paralta Gomes

Noushad Thekkayil/EPA

Partilhar

Partir da pole, andar a prova toda em 3.º e, no final, acabar em 2.º. Assim se escreve a história do primeiro pódio de Miguel Oliveira no Moto2.

O piloto de Almada conseguiu no GP Argentina o seu melhor resultado desde que subiu à categoria intermédia do motociclismo, em 2016. Oliveira partiu da pole, mas no arranque não conseguiu acompanhar o ritmo dos dois pilotos da Marc VDS, Franco Morbidelli e Alex Marquez, que rapidamente se colocaram na dianteira da corrida.

Oliveira manteve-se sempre em 3.º e a meio da prova começou a aproximar-se dos dois pilotos da frente, ainda que nas retas a sua KTM, moto que se estreia este ano no Mundial de Moto2, perdesse para os dois da frente, ambos com motores Kalex.

Mas na última volta chegou o presente para Miguel Oliveira: Alex Marquez fez um erro, caiu e o português acabou por herdar o 2.º lugar, um prémio justo para o português, que manteve-se sempre na luta, terminando a 1,683 de Franco Morbidelli.

O italiano repetiu a vitória do GP Qatar e o suíço Thomas Luthi foi 3.º.

Com este resultado, Miguel Oliveira subiu ao 3.º lugar do Mundial de pilotos, com 33 pontos.

“É fantástico! O início foi complicado porque os dois primeiros fugiram e foi difícil apanhá-los. Mas eu tinha um ritmo melhor e tentei tudo para os apanhar e nunca desisti”, disse Miguel Oliveira no final.

“Depois o Alex Marquez caiu, foi uma pena para ele, mas foi uma espécie de prémio para mim”, referiu ainda o piloto português.

Na categoria rainha (MotoGP), o espanhol Maverick Viñales (Yamaha) dominou a corrida com o italiano Valentino Rossi (Yamaha) a dar a primeira “dobradinha” à marca dos três diapasões, depois de se impor ao inglês Cal Crutchlow (Honda), numa corrida em que alguns dos principais protagonistas, como foi o caso de Jorge Lorenzo e Dani Pedrosa, caíram logo na fase inicial da corrida.

A corrida de Moto3 teve no pódio, os mesmos três pilotos que o tinham ocupado no Qatar, com o espanhol John Mir (Honda) a repetir o triunfo, à frente do inglês John McPhee (Honda) e do seu compatriota Jorge Martin (Honda), que repetiram os lugares da primeira corrida, com o alemão Philipp Oeter (KTM) e o italiano Andrea Migno (KTM) a serem os que se mantiveram perto do trio da frente, mas sem conseguirem impedi-los de confirmar a superioridade mostrada no traçado do Médio Oriente.

Classificações

Corridas

MOTO2 – 1.º, Franco Morbidelli (Kalex), 23 voltas (110,538 km), em 39’50,036” (166,4 km/h); 2.º, Miguel Oliveira (KTM), a 1,683”; 3.º, Thomas Luthi (Kalex), a 10,551”; 4.º Lorenzo Baldassarri (Kalex), a 15,577”; 5.º, Xavier Vierge (Tech 3), a 24,527”; 6.º, Simone Corsi (Speed Up), a 24,783”; 7.º, Francesco Bagnaia (Kalex), a 24,965”; 8.º, Sandro Cortese (Suter), a 25,156”; 9.º, Brad Binder (KTM), a 25,622”; 10.º, Hafizh Syahrin (Kalex), a 25,993”. Classificaram-se mais 15 pilotos

MOTOGP – 1.º, Maverick Viñales (Yamaha), 25 voltas (120,15 km), em 41’45,060” (172,6 km/h); 2.º, Valentino Rossi (Yamaha), a 2,915”; 3.º, Cal Crytchlow (Honda), a 3,754”; 4.º, Alvaro Bautista (Ducati), a 6,523”; 5.º, Johann Zarco (Yamaha), a 15,504”; 6.º, Jonas Folger (Yamaha) a 18,241”; 7.º Danilo Petrucci (Ducati), a 20,046”; 8.º, Scott Redding (Ducati), a 25,480”; 9.º, Jack Miller (Honda), a 25,665”; 10.º, Karel Abraham (Ducati), a 26,403”. Classificaram-se mais seis pilotos

MOTO3 – 1.º, Joan Mir (Honda), 21 voltas (100,926 km), em 38’33,377” (157,0 km/h); 2.º, John McPhee (Honda), 0,261”; 3.º, Jorge Martin (Honda), a 0,339”; 4.º, Philipp Oetil (KTM), a 0,641”; 5.º, Andrea Migno (KTM), a 0,890”; 6.º, Livio Loi (Honda), a 7,598”; 7.º, Romano Fenati (Honda), a 7,761”; 8.º, Tatsuki Suzuka (Honda), a 7,831”; 9.º, Juanfran Guevara (KTM), a 12,000”; 10.º, Katio Toba (Honda), a 12,079”. Classificaram-se mais 17 pilotos.

Classificação dos “Mundiais”, depois da prova argentina:

PILOTOS

MOTO2 – 1.º, Franco Morbidelli (Kalex), 50 pontos; 2.º, Thomas Luthi (Kalex), 36; 3.º, Miguel Oliveira (KTM) 33; 4.º Lorenzo Baldassarri, 21; 5.º, Xavier Vierge, 18; 6.º,Takaaki Nakagami (Kalex), 16; 7.º, Luca Martini, 14; 8.º, Francesco Bagnaia, 13; 9.º, Alex Marquez, 11; 10.º, Simone Corsi, 10. Estão classificados mais 11 pilotos

MOTOGP – 1.º, Maverick Viñales, 50 pontos; 2.º, Valentino Rossi, 36; 3.º, Andrea Dovizioso, 20; 4.º, Scott Redding (Ducati), 17; 5.º, Cal Crutchlow, Jonas Folger, 16; 7.º, Jack Miller (Honda), 15; 8.º, Marc Marquez (Honda), Alvaro Bautista, 13; 10.º, Dani Pedrosa (Honda), 11. Estão classificados mais 11 pilotos

MOTO3 – 1.º, Joan Mir, 50 pontos; 2.º, John McPhee, 40; 3.º, Jorge Martin, 32; 4.º, Andrea Migno, 21; 5.º, Romano Fenati, 20; 6.º, Aron Canet, 18; 7.º, Livio Loi, 14; 8.º, Philipp Petil, 13; 9.º, Marcos Ramirez, 10; 10.º, Niccolo Antonelli, Tatsuki Suzuki, 9. Estão classificados mais 10 pilotos.

MARCAS

MOTO2 – 1º, Kalex, 50 pontos; 2.º, KTM, 33; 3.º, Tech, 18, 7; 4.º, Suter, 13; 5.º, Speed Up, 10

MOTOGP – 1.º, Yamaha, 50 pontos; 2.º, Ducati, 33; 3.º, Honda, 29; 4.º, Aprilia, 10; 5.º, Suzuki, 7; 6.º, KTM, 2

MOTO3 – 1.º, Honda, 50 pontos; 2.º, KTM, 23

EQUIPAS – 1.º, Movistar Yamaha MotoGP, 86 pontos; 2.º, Monster Yamaha Tech 3, 27; 3.º, Octo Pramac Racing, 26; 4.º, Ducati Team, 25; 5.º, Repsol Honda Team, 24; 6.º, Pull&Bear Aspar Team, 21; 7.º, EG 0,0 Marc VDS, 20; 8.º, LCR Honda, 16; .º, Reale Avintia Racing, 15; 10.º, Aprilia Racing Team Gresini, 10; 11.º, Team Suzuki Ecstar, 7; 12.º, Red Bull KTM Factory Racing, 3

Próxima prova – Grande Prémio dos Estados Unidos, dia 23 de Abril, no Circuito das Américas