Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Rali de Córsega: Thierry Neuville acabou por vencer

O belga soube gerir a vantagem os 38.9” de avanço que tinha sobre o francês Sébastien Ogier

Pedro Roriz

NIKOS MITSOURAS/EPA

Partilhar

O belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC) não desperdiçou a terceira oportunidade e venceu no Rali da Córsega (WRC - Che Guevara Energy Drink) naquela que é a sua primeira vitória do ano, sendo o quarto piloto a ganhar noutras tantas provas.

Falhadas que foram as oportunidades de triunfar em Monte Carlo e na Suécia, o belga soube gerir a vantagem os 38.9” de avanço que tinha sobre o francês Sébastien Ogier (Ford Fiesta WRC), com as quais partiu para as duas derradeiras especiais. Dessa forma, ganhou 21,4” ao seu mais directo perseguidor, nos 53,78 km da classificativa de abertura, e acabou por ficar com 57,8” de vantagem sobre o espanhol Dani Sordo (Hyundai i20 Coupé WRC), segundo na especial, que aproveitou os problemas eléctricos do Ford para ascender ao segundo lugar, com 2,5” de avanço sobre o campeão do mundo.

Contudo, nos 10,42 km da “Power Stage”, cedeu 3,8” a Sébastien Ogier que terminou em segundo e impediu a “dobradinha” da marca sul-coreana.

Também na “Power Stage”, o finlandês Jari-Matti Latvala (Toyota Yaris WRC), que fez o melhor tempo e contabilizou os cinco pontos tem jogo, conseguiu ganhar um lugar e ascender ao quarto lugar, impondo-se ao irlandês Craig Breen (Citroen DS3 WRC), o melhor da marca francesa pela margem mínima (0,1”).

Encantado com a vitória, a terceira da sua carreira, Thierry Neuville confessava que «à partida não tinha a certeza de poder ganhar, no final do primeiro dia, mas quando fiquei na frente, no final do segundo, senti que o podia fazer, porque acreditei sempre em mim e continuei a forçar, apesar do que sucedeu em Monte Carlo e na Suécia e o sentimento é fantástico».

O norueguês Andreas Mikkelsen (Skoda Fabia R5) manteve o domínio entre os RC2 e juntou o triunfo na Córsega ao alcançado em Monte Carlo, o que lhe permite igualar o número de vitórias do sueco Pontus Tidemand que ganhou na Suécia e no México, com a curiosidade de ainda não terem estado em confronto directo.

Classificação final

1.º, Thierry Neuville/Nicolas Gilsoul (Hyundai i20 WRC), 3.22’53,4”; 2.º, Sébastien Ogier/Julien Ingrassia (Ford Fiesta WRC), a 54,7”; 3.º, Dani Sordo/Marc Marti (Hyundai i20 WRC), a 56,0”; 4.º, Jari-Matti Latvala/Mikka Antilla (Toyota Yaris WRC), a 1’09,6”; 5.º, Craig Breen/Scott Martin (Citroen C3 WRC), a 1’09,7”; 6.º, Hayden Paddon/John Kennard (Hyundai i20 WRC), a 2’16,3”; 7.º, Andreas Mikkelsen/Anders Jaeger (Skoda Fabia R5), a 8’10,7” (1.º RC2); 8.º, Teemu Suninen/Mikko Markkula (Skoda Fabia R5), a 9’17,0 ”; 9.º, Stéphane Sarrazin/Jacques-Julien Renucci (Skoda Fabia R5), a 9’23,6” ; 10.º, Yohan Rossel/Benoit Fulcrand (Citroen DS3 R5), a 12’57,1”. Classificaram-se mais 30 equipas.

Classificação dos “Mundiais”, depois da prova corsa:

PILOTOS

1.º, Sébastien Ogier, 88 pontos; 2.º, Jari-Matti Latvala, 75; 3.º, Thierry Neuville, 54; 4.º, Ott Tanak, 48; 5.º, Dani Sordo, 47; 6.º, Craig Breen, 33; 7.º, Kris Meeke, 27; 8.º, Hayden Paddon, 25; 9.º, Elfyn Evans, 20; 10.º, Andreas Mikkelsen, 13; 11.º, Stéphane Lefebvre, 10; 12.º, Juho Hanninen, 9; 13.º, Teemu Suninen, 5; 14.º, Jan Kopecky, 4; 15.º, Pontus Tidemand, 3; 16.º, Stéphane Sarrazin, 2; 17.º, Bryan Bouffier, Yohan Rossel, 1

MARCAS

1.º, M-Sport World Rally Team, 129 pontos; 2.º, Rally Team, Hyundai Motorsport, 105; 3.º, Toyota Gazoo Racing World, 79; 4.º, Citroen Total Abu Dhabi World Rally Team, 71

Próxima prova – Rally Argentina, de 27 a 30 de Abril

Partilhar