Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Primeira vitória de Bottas

Ao vencer o GP da Rússia, o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) tornou-se no 107.º piloto a vencer uma corrida de F1 e permitiu à marca alemã a manutenção da invencibilidade no traçado de Sochi.

Pedro Roriz

YURI KOCHETKOV/EPA

Partilhar

Autor de um espectacular arranque, o finlandês, que partiu da terceira posição da grelha, passou pelos Ferrari, do alemão Sebastian Vettel e do finlandês Kimi Raikkonen, como “cão por vinha vindimada” e instalou-se no comando. Bottas só voltou a perder esta posição durante as sete voltas que mediaram as trocas de pneus entre o seu carro e o de Sebastian Vettel.

Com um início de corrida irrepreensível o finlandês ganhou uma vantagem confortável até ao momento em que parou para trocar de pneus, na 27.ª volta, e caiu para segundo atrás de Sebastian Vettel.

Nas sete voltas suplementares, que fez com o primeiro jogo de pneus, Sebastian Vettel tentou ganhar um avanço que lhe permitisse parar, trocar de pneus e regressar à pista no comando, mas quando parou, na 34.ª volta, a vantagem angariada não era suficiente e regressou à pista atrás do finlandês.

A partir daí assistiu-se ao jogo “do gato e do rato”, com o alemão a aproximar-se e o finlandês a defender-se, dando a ideia de que tinha corrida controlada.

Uma travagem “queimada” fez Valtteri Bottas perder grande parte da sua vantagem e, depois, o facto de ser mais lento a ultrapassar os últimos classificados do que o alemão, permitiu a este aproximar-se de forma perigosa, colocando em dúvida a estreia do finlandês no lugar mais alto do pódio.

Nas últimas voltas, Sebastian Vettel aproximou-se, ficou em posição de poder usar o DRS (utilizável desde que a diferença para o piloto da frente seja inferior a um segundo), mas Valtteri Bottas soube defender-se e garantir a primeira vitória na F1, naquele que foi o seu 81.º GP.

Com uma corrida tranquila, o finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari) completou o pódio, à frente do inglês Lewis Hamilton (Mercedes), que “passou ao lado” da corrida russa.

O holandês Max Verstappen (Red Bull/TAG Heuer), único sobrevivente da equipa, uma vez que o australiano Daniel Ricciardo abandonou, na fase inicial da corrida, com problemas de travões, foi quinto, à frente do mexicano Sérgio Perez e do francês Esteban Ocon, que voltaram a colocar os dois Force Índia/Mercedes), nos lugares pontuáveis, com o alemão Nico Hulkenberg (Renault), o brasileiro Felipe Massa (Williams/Mercedes) e o espanhol Carlos Sainz (Toro Rosso/Renault) a arrecadarem os últimos pontos.

Classificação – 1.º, Valtteri Bottas (Mercedes W08/Mercedes), 52 voltas (303,897 km), em 1.28’08,743” (206,859 km/h); 2.º, Sebastian Vettel (Ferrari SF70-H/Ferrari), a 0,617”; 3.º, Kimi Raikkonen (Ferrari SF70-H/Ferrari), a 11,000”; 4.º, Lewis Hamilton (Mercedes W08/Mercedes), 56 voltas (305,066 km), a 36,320”; 5.º, Max Verstappen (Red Bull RB13/TAG Heuer), a 1’00,416”; 6.º, Sergio Perez (Force India VJM10/Mercedes), a 1’26,788”; 7.º, Esteban Ocon (Force India VJM10/Mercedes), a 1’35,004”; 8.º, Nico Hulkenberg (Renault RS17/Renault), a 1’36,188”; 9.º, Felipe Massa (Williams FW40/Mercedes), a 1 volta; 10.º, Carlos Sainz (Toro Rosso STR12/Renault), a 1 volta; 11.º, Lance Stroll (Williams FW40/Mercedes), a 1 volta; 12.º, Daniil Kvyat (Toro Rosso STR12/Renault), a 1 volta; 13.º, Kevin Magnussen (Haas VF17-Ferrari), a 1 volta; 14.º, Stoffel Vandoorne (McLaren MCL32/Honda), a 1 volta; 15.º, Marcus Ericsson (Sauber C36/Ferrrari), a 1 volta; 16.º, Pascal Wehrlein (Sauber C36/Ferrari), a 2 voltas

Classificações dos “Mundiais”, depois da prova russa:

PILOTOS – 1.º, Sebastian Vettel, 86 pontos; 2.º, Lewis Hamilton, 73; 3.º, Valtteri Bottas, 63; 4.º, Kimi Raikkonen, 49; 5.º, Max Verstappen, 35: 6.º, Daniel Ricciardo, 22; 7.º, Sergio Perez, 22; 8.º, Felipe Massa, 18; 9.º, Carlos Sainz, 11; 10.º, Esteban Ocon, 9; 11.º, Nico Hulkenberg, 6; 12.º, Kevin Magnussen, Romain Grosjean, 4; 14.º, Daniil Kvyat,

EQUIPAS – 1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 136 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 135; 3.º, Red Bull Racing, 57; 4.º, Sahara Force India F1 Team, 31; 5.º, Williams Martini Racing, 18; 6.º, Scuderia Toro Rosso, 13; 7.º, Haas, F1 Team, 8; 8.º, Renault Sport F1 Team, 6

Próxima prova – Grande Prémio de Espanha, dia 14 de Maio, no Circuito da Catalunha (Barcelona.