Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Tiago Monteiro foi duas vezes ao pódio

Com um terceiro e um segundo lugares, no rápido traçado de Monza, o português Tiago Monteiro cimentou a posição de comandante do WTCC.

Pedro Roriz

Partilhar

Na primeira corrida, o português saiu de nono mas, graças a uma excelente recuperação e aos erros de alguns dos seus adversários, terminou em terceiro, atrás dos ingleses Tom Chilton (Citroen C-Elysée) e Robert Huff (Citroen C-Elysée). Estes beneficiaram do facto de, logo na primeira volta, Tom Coronel (Chevrolet Cruze), que estava na “pole”, ter falhado o arranque e perdido vários lugares, do marroquino Mehdi Bennani (Citroen C~Elysée), que tinha assumido o comando, e do húngaro Nobert Micheliz (Honda Civic) se terem “desentendido”, quando o segundo tentava ultrapassar o primeiro, e do argentino Nestor Girolami (Volvo S60) ter partido a suspensão, o que os deixou nas duas primeiras posições que mantiveram até final.

Na segunda corrida, Tiago Monteiro, que estava na segunda posição da grelha, atrás do sueco Thed Bjork (Volvo S60), fez um bom arranque e assumiu o comando. Mas na segunda volta, o sueco conseguiu ultrapassar o piloto da Honda para assegurar um triunfo que o português não pode contestar.

A partir desse momento, Tiago Monteiro teve de defender-se dos “ataques” de Robert Huff, com o piloto da marca francesa a pressionar o português durante toda a corrida. Monteiro soube resistir à pressão e garantir um segundo lugar que lhe permite cimentar a posição de comandante do “Mundial”, agora com 13 pontos de avanço sobre o sueco Thed Bjork.

Classificações

Corrida de abertura – 1.º, Tom Chilton (Citroen C-Elysée), 9 voltas (52,137 km), em 17’17,330” (182,0 km/j); 2.º, Robert Huff (Citroen C-Elysée), a 0,329”; 3.º, Tiago Monteiro (Honda Civic), a 2’630”; 4.º, Thed Bjork (Volvo S60), a 6,793; 5.º, Esteban Guerrieri (Chevrolet Cruze), a 6,899”; 6.º, Tom Coronel (Chevrolet Cruze), a 11,100”; 7.º, John Filippi (Citroen C-Elysée), a 12,928”; 8.º, Nicky Catsburg (Volvo S60), a 18,067”; 9.º, Kevin Gleason (Lada Vesta), a 18,449”; 10.º, Daniel Nagy (Honda Civic), a 19,200”. Classificou-se mais um piloto.

Corrida principal – 1.º, Thed Bjork, 12 voltas (69,516 km), em 23’51,974” (183,9 km/h); 2.º; Tiago Monteiro, a 2,174”; 3.º, Robert Huff, a 2,779”; 4.º, Nicky Catsburg, a 3,269”; 5.º, Nestor Girolani (Volvo S60), a 6,180”; 6.º; Norbert Michelisz (Honda Civic), a 6,181”; 7.º, Mehdi Bennani (Citroen C-Elysée), a 9,582”; 8.º, Esteban Guerrieri, a 11,522”; 9.º, Yann Ehrlacher (Lada Vesta), a 11,877”; 10.º, John Filippi, a 12,077”. Classificaram-se mais três pilotos

Classificação dos “Mundiais”, depois da prova italiana:

PILOTOS

1.º, Tiago Monteiro, 85 pontos; 2.º, Thed Bjork, 72; 3.º, Nicky Catsburg, 50; 4.º, Norbert Michelisz, 46; 5.º, Tom Chilton, 44; 6.º, Robert Huff, 44; 7.º, Esteban Guerrieri, 39; 8.º, Nestor Girolami, 39; 9.º, Mehdi Bennani, 33; 10.º, Tom Coronel, 16; 11.º, John Filippi, 7; 12.º, Yann Ehrlacher, Kevin Gleason, 2; 14.º, Ryo Michigami, Aurélien Panis, Daniel Nagy, 1

MARCAS

1.º, Honda, 96 pontos; 2.º, Volvo, 96

Próxima corrida – Hungaroring (Hungria), dia 14 de Maio