Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Dobradinha da Ferrari no GP da Hungria

O alemão Sebastian Vettel (Ferrari) venceu o GP da Hungria e aumentou para 14 pontos a vantagem sobre o inglês Lewis Hamilton (Mercedes), que foi quarto

Pedro Roriz

Dan Mullan/GETTY

Partilhar

O piloto alemão Sebastian Vettel aproveitou o facto de largar da “pole position” para manter o controlo da corrida, tanto mais que o seu colega de equipa, o finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari), o seguiu como uma sombra protegendo-o dos ataques da Mercedes.

No arranque os dois pilotos da Red Bull, o holandês Mex Verstappen e o australiano Daniel Ricciardo, tocaram-se na segunda curva, com o segundo a ser forçado a desistir, enquanto o Safety Car entrava em acção para a pista ser limpa.

Nessa altura, Lewis Hamilton era quinto atrás dos dois Ferrari, do finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) e de Max Verstappen situação que se manteve até meio da corrida, altura em que os pilotos procederam à troca de pneus, com o holandês Verstappen a ser penalizado em 10”, por ter sido considerado culpado do acidente da primeira volta.

A partir daí Lewis Hamilton passou ao ataque, beneficiou das ordens da equipa para ultrapassar o seu colega de equipa, e lançou-se na perseguição de Kimi Raikkonen, mas nunca esteve em condições de concretizar a ultrapassagem, muito embora tivesse estado a menos de um segundo do finlandês e pudesse utilizar o DSR (sistema de redução de arrasto instalado na asa traseira e que permite diminuir momentaneamente a resistência do veículo ao ar).

Num traçado sinuoso, como o do Hungaroring, a turbulência provocada pelo carro que vai à frente, faz com quem rode atrás tenha dificuldade em concretizar a ultrapassagem e Lewis Hamilton nunca conseguiu concretizar o objectivo que se tinha proposto: chegar ao segundo lugar e minorar as perdas pontuais para Sebastian Vettel.

Perante a impossibilidade de ultrapassar Kimi Raikkonen, o inglês, seguindo o combinado com a equipa, deixou, na derradeira volta, Valtteri Bottas regressar ao terceiro lugar e como consequência viu a sua desvantagem para Sebastian Vettel subir para 14 pontos.

A corrida magiar ficou, ainda, marcada pelo facto de a McLaren ter colocado os dois pilotos nos lugares pontuáveis, o espanhol Fernando Alonso, em sexto, e o holandês Stoffel Vandoorne, em décimo, com o espanhol a ser o último dos pilotos que não foi “dobrado” e a garantir a posição após cerrado duelo com o seu compatriota Carlos Sainz (Toro Rosso/Renault).

Agora a F1 vai de férias, de forma obrigatória, com as fábricas a fecharem durante 15 dias, estando o regresso à acção marcado para o último fim-de-semana de Agosto, no circuito belga de Spa-Francorchamps, onde a instabilidade das condições atmosféricas pode baralhar as contas.

Classificação – 1.º, Sebastian Vettel (Ferrari SF70-H/Ferrari), 70 voltas (306,630 km), em 1.39’46,713 (184,386 km/h); 2.º, Kimi Raikkonen (Ferrari SF70-H/Ferrari), a 0,908”; 3.º, Valtteri Bottas (Mercedes W08/Mercedes), a 12,462”; 4.º, Lewis Hamilton (Mercedes W08/Mercedes), a 12,885; 5.º, Max Verstappen (Red Bull RB13/TAG Heuer), a 13,276”; 6.º, Fernando Alonso (McLaren MCL32/Honda), a 1’11,223”; 7.º, Carlos Sainz (Toro Rosso STR12/Renault), a 1 volta; 8.º, Sergio Perez (Force India VJM10/Mercedes), a 1 volta; 9.º, Esteban Ocon (Force India VJM10/Mercedes), a 1 volta; 10.º, Stoffel Vandoorne (McLaren MCL32/Honda), a 1 volta; 11.º, Daniil Kvyat (Toro Rosso STR12/Renault), a 1 volta; 12.º Jolyon Palmer (Renault RS17/Renault), a 1 volta; 13.º, Kevin Magnussen (Haas VF-17/Ferrari), 1 a volta; 14.º, Lance Stroll (Williams FW40/Mercedes), a 1 volta; 15.º, Pascal Wehrlein (Sauber C36/Ferrari), a 1 volta; 16.º, Marcus Ericsson (Sauber C36/Ferrari), a 2 voltas; 17.º, Nico Hulkenberg (Renault RS17/Renault) a 3 voltas

Classificações dos “Mundiais”, depois da prova húngara:

PILOTOS – 1.º, Sebastian Vettel, 202 pontos; 2.º, Lewis Hamilton, 188; 3.º, Valtteri Bottas, 169; 4.º, Daniel Ricciardo, 117; 5.º, Kimi Raikkonen, 116; 6.º, Max Verstappen, 67; 7.º, Sergio Perez, 56; 8.º, Esteban Ocon, 45; 9.º, Carlos Sainz, 35; 10.º, Nico Hulkenberg, 26; 11.º, Felipe Massa, 23; 12.º, Lance Stroll, 18; 13.º, Romain Grosjean, 18; 14.º, Kevin Magnussen, 11; 15.º, Fernando Alonso, 10; 16.º, Pascal Wehrlein, 5; 17.º, Daniil Kvyat, 4; 18.º, Stoffel Vandoorme, 1

EQUIPAS – 1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 357 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 318; 3.º, Red Bull Racing, 184; 4.º, Sahara Force India F1 Team, 101; 5.º, Williams Martini Racing, 41; 6.º, Scuderia Toro Rosso, 39; 7.º, Haas, F1 Team, 29; 8.º, Renault Sport F1 Team, 26; 9.º, McLaren Honda, 11; 10.º, Sauber F1 Team, 5;

Próxima prova – Grande Prémio da Bélgica, dia 27 de Agosto, no Circuito de Spa-Francorchamps