Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Rali da Finlândia: Esapekka Lappi, vitória e susto

O finlandês Esapekka Lappi (Toyota Yaris) alcançou a primeira vitória no WRC (Campeonato do Mundo de Ralis) apesar de um susto na penúltima especial

Pedro Roriz

HANNU RAINAMO/GETTY

Partilhar

Um toque com a traseira esquerda, provocou um furo e estragos na carroçaria mas não afectou a suspensão do carro e Esapekka Lappi pôde cumprir a “Power Stage” e confirmar a vitória, desenhada desde o momento em que o seu compatriota Jari-Matti Latvala (também em Toyota Yaris) foi traído pela mecânica, numa altura em que comandava a prova.

O último dia, apesar de ser curto em termos competitivos, escassos 33,84 km divididos por quatro especiais, três ganhas por Jari-Matti Latvala provocou uma revolução nos restantes lugares do pódio.

À partida os restantes lugares do pódio eram ocupados pelos finlandeses Teemu Suninen (Ford Fiesta WRC) e Juho Hanninen (Toyota Yaris WRC), separados por 4,4”, com o inglês Elfyn Evans (Ford Fiesta WRC) a arrancar para a derradeira etapa a 1,3” de piloto da Toyota., o que deixava tudo em aberto.

Na primeira especial (6,8 km) do dia, Juho Hanninen igualou Teemu Suninen, mas na segunda (10,12 km), o piloto da Ford voltou a isolar-se no segundo

lugar, mas Elfyn Evans ascendeu ao terceiro lugar do pódio, com 0,2” de avanço sobre o segundo homem da Toyota.

Na segunda (10,62 km), que mais tarde seria a “Power Stage”, Teemu Suninen voltou a isolar-se no segundo lugar, mas Elfyn Evans conseguiu chegar ao terceiro lugar, com escassos 0,2” de avanço sobre Juho Hanninen.

Na segunda passagem pela primeira classificativa do dia, Esapekka Lappi apanhou o já referido susto, mas Teemu Suninen fez um pião, bateu e perdeu de vez a possibilidade de terminar no pódio na estreia ao volante de um WRC, enquanto Juho Hanninen voltava a permitir à Toyota sonhar com a “dobradinha”, por ter voltado ao segundo lugar com 0,9” de vantagem sobre Elfyn Evans.

Mas na “Power Stage”, o inglês inverteu a situação, foi segundo na especial, e terminou em segundo, com 0,3” de vantagem sobre o segundo Toyota.

A prova finlandesa ficou marcada pelo domínio da Toyota, que chegou a monopolizar os lugares do pódio, antes do abandono de Jari-Matti Latvala.

Na origem da superioridade da marca nipónica o facto de contar com pilotos locais, profundos conhecedores das armadilhas das florestais do seu país.

Acresce que a estrutura da equipa, comandada pelo finlandês tetra-campeão do mundo Tommi Makinen, está sedeada nos arredores de Jyvaskyla, a cidade que é centro da prova.

Foi a segunda vitória da Toyota, neste ano de regresso ao WRC, depois do sucesso na Suécia, por intermédio de Jari-Matti Latvala.

Ao contrário do que chegou a ser admitido, o francês Sébastien Ogier (Ford Fiesta WRC) não alinhou no derradeiro dia da competição, para permitir uma mais rápida recuperação do seu navegador (Julien Ingrassia), vítima de uma comoção cerebral, em consequência do despiste verificado no segundo dia de prova. Vai precisar, no mínimo, de 15 dias de recuperação.

Apesar de só ter sido sexto, atrás ainda do irlandês Craig Breen (Citroen C3 WRC), que foi o melhor dos homens da marca francesa, o belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC) ascendeu ao comando do “Mundial” graças aos três pontos alcançados na “Power Stage” (terceiro tempo), o que lhe permitiu igualar os 160 pontos do francês mas beneficiar do facto de contar com três vitórias (Córsega, Argentina e Polónia) contra duas (Monte Carlo e Portugal) do seu adversário.

Classificação final – 1.º, Esapekka Lappi/Janne Ferm (Toyota Yaris WRC), 2’29’26,9”; 2.º, Elfyn Evans/Daniel Barritt (Ford Fiesta WRC), a 36,0”; 3.º, Juho Hanninen/Kaj Lindstrom (Toyota Yaris WRC), a 36,3”; 4.º, Teemu Suninen/Mikko Markkula (Ford Fiesta WRC), a 1’01,5”; 5.º, Craig Breen/Martin Scott (Citroen C3 WRC), a 1’22,6”; 6.º, Thierry Neuville/NIcolas Gilsoul (Hyundai i20 Coupé WRC), a 1’33,1”; 7.º, Ott Tanak/Martin Jarveoja (Ford Fiesta WRC), a 1’53,6”; 8.º, Kris Meeke/Paul Nagle (Citroen C3 WRC), a 3’12,6”; 9.º, Dani Sordo/Marc Marti (Hyundai i20 Coupé WRC), a 4’11,5”; 10.º, Mads Ostberg/Torstein Eriksen (Ford Fiesta WRC), a 4’21,2”; 11.º, Jari Huttunen/ A. Linnakto (Skoda Fabia R5), a 10’04,0” (1.º RC2), Classificaram-se 27 pilotos.

Classificação dos “Mundiais”, depois da prova finlandesa:

PILOTOS – 1.º, Theirry Neuville, 160 pontos; 2.º, Sébastien Ogier, 160 3.º, Ott Tanak, 119; 4.º, Jari-Matti Latvala, 114; 5.º, Dani Sordo, 84; 6.º, Elfyn Evans, 79; 7.º, Craig Breen, 53; 8.º, Hayden Paddon, 51; 9.º, Juho Hanninen, 46; 10.º, Esapekka Lappi, 45; 11.º, Kris Meeke, 31; 12.º, Teemu Suninen, 25; 13.º, Stéphane Lefebvre, 22; 14.º, Andreas Mikkelsen, 21; 15.º, Mads Ostberg, 19; 16.º, Jan Kopecky, 5; 17.º, Pontus Tidemand, 4; 18.º, Stéphane Sarrazin, e Eric Camilli, 2; 20.º, Bryan Bouffier e Yohan Rossel, 1

MARCAS – 1.º, M-Sport World Rally Team, 285 pontos; 2.º, Rally Team, Hyundai Motorsport, 251; 3.º, Toyota Gazoo Racing World, 193; 4.º, Citroen Total Abu Dhabi World Rally Team, 135

Próxima prova – Rali da Alemanha, de 17 a 20 de Agosto