Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Rali Vinho Madeira: “jogar em casa” é vantagem

No final da primeira etapa, Miguel Nunes e Alexandre Camacho ocupam as primeiras posições

Pedro Roriz

Partilhar

As equipas madeirenses dominam o Rali Vinho Madeira, no final da primeira etapa, com Miguel Nunes (Hyundai i20 R5) e Alexandre Camacho (Peugeot 208 T16 R5) a ocuparem as duas primeiras posições separados por 12,1”.

O italiano Giandomenico Basso (Hyundai i20 R5) é terceiro, a 4,0” de Alexandre Camacho, mas João Silva (Citroen DS3 R5), outro piloto madeirense é quarto, à frente de Miguel Campos (Skoda Fabia R5), o primeiro dos volantes continentais, que está já a quase dois minutos do comandante.

E se de manhã o italiano discutiu o comando com Alexandre Camacho, que se impôs na dupla passagem pelo Campo de Golf, mas cedeu nas duas passagens pelo Palheiro Ferreiro, da parte da tarde, Miguel Nunes, apesar de ser a primeira vez que guia o carro sul-coreano lançou-se ao ataque e na segunda passagem por Cidade de Santana assumiu o comando para não mais o perder, enquanto seria já na secção nocturna que integravam as classificativas de Serragem e Terreiro da Luta, que Alexandre Camacho chegou ao segundo lugar, tirando partido do superior conhecimento do terreno.

De fora, traído pela mecânica, ficou o francês Stéphane Lefebvre (Citroen DS3 R5) forçado a renunciar na segunda passagem pelo Campo de Golf, quando era terceiro, mas o piloto oficial da marca francesa deverá voltar amanhã ao abrigo do regulamento do Rally2.

De assinalar que a segunda passagem por Ribeiro Frio ficou marcada pelo despiste de Joaquim Alves (Ford Fiesta R5), que levou à neutralização da classificativa para que a equipa fosse socorrida, depois de Miguel Nunes e Miguel Campos terem parado junto da equipa acidentada para se inteirarem do estado de Joaquim Alves e Luís Ramalho.

Na sequência dessa decisão, o Colégio de Comissários decidiu atribuir a Miguel Nunes o mesmo tempo de Alexandre Camacho, que foi o mais rápido na especial, e a Miguel Campos um tempo, que lhe deu o sétimo lugar na especial.

A etapa de amanhã

Amanhã os concorrentes limitam-se a cumprir uma dupla passagem por quatro especiais – Câmara de Lobos (11,48 km – 10,37 e 14.44), Ponta do Sol (8,02 km – 11,23 e 15.30), Ponta do Pargo (13,11 km – 12,06 e 16.13) e Rosário (11,37 km – 12,57 e 17.04) – que somam 87,96 km contra os 111,82 km percorridos hoje.

Classificação no final da 1.ª etapa – 1.º, Miguel Nunes/João Paulo Fernandes (Hyundai i20 R5), 1.17’21,9”; 2.º, Alexandre Camacho/Pedro Calado (Peugeot 208 T16 R5), a 12.1”; 3.º, Giadomenico Basso/Lorenzo Granai (Hyundai i20 R5), a 16,1”; 4.º, João Silva/Rui Rodrigues (Citroen DS3 R5), a 31,3”; 5.º, Miguel Campos/António Costa (Skoda Fabia R5), a 1’47,5”; 6.º, Miguel Barbosa/Miguel Ramalho (Skoda Fabia R5), a 2’23,3”; 7.º, Simome Tempestini/Giovanni Bernacchini (Citroen DS3 R5), a 2’37,5”; 8.º, Carlos Vieira/Jorge Carvalho (Citroen DS3 R5), a 2’’49,3”; 9.º, João Barros/Jorge Henriques (Ford Fiesta R5), a 3’12,4”; 10.º, António Nunes/Roberto Castro (Ford Fiesta R5), a 4’02,7”