Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

GP Japão: Lewis Hamilton (Mercedes) com o título na mão

Como consequência do abandono do alemão Sebastian Vettel (Ferrari) e da sua vitória, o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) tem o título na mão

Pedro Roriz

MAX ROSSI

Partilhar

Ao passar a dispor de 59 pontos de avanço sobre o seu mais directo adversário, quando faltam quatro corridas para terminar a temporada, Lewis Hamilton tem tudo a seu favor para recuperar o ceptro, perdido o ano passado para o finlandês Nico Rosberg, igualar Alain Prost e Sebastian Vettel no conjunto de pilotos que somam quatro campeonatos.

E se em termos aritméticos nada está decidido, a verdade é que só a conjugação de dois factores pode alterar a situação.

É que para o alemão reconquistar o título, que foi seu pela última vez em 2013, Sebastian Vettel tinha de vencer as quatro corridas que faltam e esperar que o inglês nunca fosse além do quinto lugar, algo que parece entrar no domínio do irreal.

A prova japonesa acabou por ser dominada de forma clara por Lewis Hamilton, que viu Sebastian Vettel ter problemas, ainda na grelha de partida, para logo nas voltas iniciais o alemão rumar às boxes de onde não saiu, com o motor a acusar falta de potência, o que o fez cair, ainda na volta de abertura de primeiro para sexto.

Com Sebastian Vettel de fora, passou a ser o holandês Max Verstappen (Red Bull), que no arranque tinha superado o seu colega de equipa, o australiano Daniel Ricciardo, a assumir o papel de perseguidor de Lewis Hamilton, mas este controlou sempre a corrida, não correu riscos que o levassem a desgastar demasiado os pneus e só nas derradeiras voltas permitiu a aproximação do holandês, que acabou a pouco mais de um segundo do vencedor.

Daniel Ricciardo completou o pódio, à frente do finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), que aspira a ser vice-campeão, uma vez que está a 25 pontos de Sebastian Vettel e a Mercedes parece estar melhor que a Ferrari na fase final do campeonato.

Com o quinto lugar, à frente dos dois Force India e dos dois Hass, o finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari) “salvou a honra” da marca italiana, com o brasileiro Felipe Massa (Williams) a completar o lote dos pilotos que terminaram nos lugares pontuáveis.

Carlos Sainz na Renault

O espanhol Carlos Sainz terminou a derradeira corrida aos comandos de um Toro Rosso nos “rails”, o que levou à entrada do “safety car”, logo na volta inaugural, uma vez que a partir da próxima prova (Grande Prémio dos Estados Unidos) estará ao volante de um Renault, substituindo o inglês Jolyon Palmer, que está, para já, de saída de F1, e juntando-se ao alemão Nico Hulkenberg na marca do losango.

Por sua vez, o russo Daniil Kvyat, que tinha sido afastado da Toro Rosso, para permitir a entrada do francês Pierre Gasly, estará de volta à equipa a partir da prova norte-americana, embora isso não signifique que o lugar para 2018 está garantido.

Classificação – 1.º, Lewis Hamilton (Mercedes W08/Mercedes), 53 voltas, em 1.27’31,194”; 2.º, Max Verstappen (Reb Bull RB13/TAG Heuer), a 1,211”; 3.º, Daniel Ricciardo (Red Bull RB13/TAG Heuer), a 9,679”; 4.º, Valtteri Bottas (Mercedes W08/Mercedes), a 10,580”; 5.º, Kimi Raikkonen (Ferrari SF-70H/Ferrari), a 32,622”; 6.º, Esteban Ocon (Force India VJM10/Mercedes), a 1’07,788; 8.º, Sergio Perez (Force India VJM10/Mercedes), a 1’11,424”; 8.º, Kevin Magnussen (Hass VF-17/Ferrari), a 1’28,953”; 9.º, Romain Grosjean (Haas VF-17/Ferrari), a 1’29,883”; 10.º, Felipe Massa (Williams FW40/Mercedes), a 1 volta; 11.º, Fernando Alonso (McLaren MCL32/Honda), a 1 volta; 12.º, Jolyon Palmer (Renault RS17/Renault), a 1 volta; 13.º, Pierre Gasly (Toro Rosso STR12/Renault), a 1 volta; 14.º, Stoffel Vandoorne (McLaren/Honda), a 1volta; 15.º, Pascal Wehrlein (Sauber C36/Ferrari), a 2 voltas

Classificações dos “Mundiais”, depois da prova japonesa:

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 306 pontos; 2.º, Sebastian Vettel, 247; 3.º, Valtteri Bottas, 222; 4.º, Daniel Ricciardo, 177; 5.º, Kimi Raikkonen, 138; 6.º, Max Verstappen, 93; 7.º, Sergio Perez, 76; 8.º, Esteban Ocon, 57; 9.º, Carlos Sainz, 48; 10.º, Nico Hulkenberg, 34; 11.º, Felipe Massa, 33; 12.º, Lance Stroll, 32; 13.º, Romain Grosjean, 26; 14.º, Stoffel Vandoorme, 13; 15.º, Kevin Magnussen, 11; 16.º, Fernando Alonso, 10; 17.º, Jolyon Palmer, 8; 18.º, Pascal Wehrlein, 5; 19.º, Daniil Kvyat, 4;

EQUIPAS – 1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 540 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 395; 3.º, Red Bull Racing, 303; 4.º, Sahara Force India F1 Team, 147; 5.º, Williams Martini Racing, 66; 6.º, Scuderia Toro Rosso, 52; 7.º, Haas, F1 Team, 43; 8.º, Renault Sport F1 Team, 42; 9.º, McLaren/Honda, 23; 10.º, Sauber F1 Team, 5

Próxima prova – Grande Prémio dos Estados Unidos, dia 22 de Outubro, no Circuito das Américas (Austin – Texas)