Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

Villas-Boas sobe a 42.º da geral - sim, isto é sobre o Dakar

O português Carlos Sousa (Renault) foi penalizado em duas horas na primeira etapa do Rali Dakar e caiu para a 94.ª posição da classificação da prova de todo o terreno, enquanto André Villas-Boas (Toyota) deu um 'pulo' para 42.º.

Lusa

Partilhar

Depois de ter concluído no sábado os 31 quilómetros da 'especial' de abertura no 30.º lugar, a 5.48 minutos de Nasser Al-Attiyah, do Qatar, primeiro líder, Sousa já esperava 20 minutos de penalização por ter falhado um ponto de controlo, mas a classificação atualizada reflete uma punição de duas horas.

"Perdemos pelo menos dois minutos à procura de um 'waypoint' e falhámos outro. Por isso, já sabemos que vamos receber uma penalização de 20 minutos. É o Dakar. Daqui para a frente só pode correr melhor", afirmou o experiente piloto português, citado pela sua assessoria de imprensa depois de completada a ligação entre Lima e Pisco, no Peru, num total de 273 quilómetros.

A dupla Carlos Sousa e Pascal Maimon antes da partida para mais um Rally Dakar, em Lima, a 6 de janeiro.

A dupla Carlos Sousa e Pascal Maimon antes da partida para mais um Rally Dakar, em Lima, a 6 de janeiro.

Mariana Bazo

Numa etapa em que as dificuldades de navegação foram o maior obstáculo dos pilotos, André Villa-Boas beneficiou das penalizações impostas a vários pilotos para fechar o dia no 42.º lugar, ganhando quatro posições.

A aproveitar a paragem na sua carreira de treinador de futebol para cumprir o sonho de participar no Dakar, acompanhando pelo experiente Rúben Faria, desta vez no papel de navegador, Villas-Boas está a 11.01 minutos do líder.

A primeira etapa nas motas ficou marcada pelo abandono de Joaquim Rodrigues (Hero), após sofrer uma queda ao tentar passar uma duna, em pleno deserto de Pisco, no Peru. O português calculou mal a altura da duna, pouco depois da partida do setor cronometrado, e acabou por cair de forma desamparada, tendo sido transportado de helicóptero para o hospital.

A desistência de Joaquim Rodrigues junta-se assim às ausências de última hora de Paulo Gonçalves e Mário Patrão, o que deixa a participação lusa reduzida a Fausto Mota (KTM), 56.º, a 9.05 minutos do vencedor da primeira tirada, o britânico Sam Sunderland (KTM), 'campeão' do ano passado.

Pedro Mello Breyner (CAT Racing) é o único piloto luso de UTV, a designação para as viaturas próprias para andar fora da estrada. É o quarto posicionado, a 3.43 do líder, o peruano Aníbal Aliaga.

Para domingo, a segunda etapa já tem 267 quilómetros cronometrados, sempre no Peru, na região de Gran Tablazo de Ica, quase sempre fora de estrada e a obrigar a um bom trabalho de navegação.

Lusa