Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Pombo

Diogo Pombo

Jornalista

Começou longe do desporto, no Sol e no I, até ajudar a fundar o Observador, onde o deixaram entrar a pés juntos nestes campos. Está sempre de olho no futebol e em tudo o que tem uma bola à mistura, para escrever sobre isso. Quando não pode, tenta estar a jogar qualquer coisa. Ou ver outros a fazerem história, jogando, como no Europeu de 2016, quando andou por França atrás da seleção. Pouco depois, chegou ao Expresso.

  • Uma vida rocambolesca no Campeonato do Mundo, por Arábia Saudita

    Arábia Saudita

    O avião que levaria a seleção saudita a Rostov, onde esta quinta-feira defronta o Uruguai (16h, RTP1), foi forçado a aterrar de emergência devido ao incêndio num dos motores. Antes, a sua atitude durante a derrota por 5-0 contra a Rússia foi, supostamente, criticada pelo ministro dos Desportos. E antes, muito antes disso, os sauditas já eram a equipa que troca de selecionador como o vento muda de direção e talvez ainda não seja desta que jogam um Mundial sem problemas de travessia

  • Talvez haja um pequeno czar dentro de cada um destes russos

    Grupo A

    Assim como o tinha feito no primeiro jogo, a Rússia tanto insistiu e tentou com o seu estilo direto, intenso e vertical de fazer as coisas que, de repente, os golos começaram a entrar. Limitado ou não, esse estilo chegou e sobrou (3-1) para vencer o Egito, que teve Salah em campo, sem o ter verdadeiramente, resultado que deixa os russos com um pé nos oitavos-de-final do Mundial

  • Juan Carlos Osorio, o cordial, metódico e filosófico selecionador mexicano que arrendou uma casa só para ver os treinos do Liverpool

    México

    Quando ainda era um trintão preparador físico, Juan Carlos Osorio foi estudar para Inglaterra. Como a universidade não lhe chegava, arrendou um apartamento ao lado do centro de estágios do Liverpool e subia a um escadote que colocava no jardim para assistir aos treinos, para aprender. Esta é a história resumida do selecionador que guiou o México a bater a Alemanha, na estreia do Mundial - e que chegou a vender o ginásio e o carro que tinha, em Nova Iorque, para ser capaz de arrendar a tal casa (a um adepto do Everton)

  • Todo o mundo tenta, mas foram os suíços a empatar o penta

    Grupo E

    A primeira parte fazia adivinhar um jogo espetacular, atacante e entusiasmante, como o golo de Philippe Coutinho. Só que a Suíça empatou no início da segunda e abrandou, muito, o pentacampeão do mundo e um sofrível Neymar. Há 40 anos que o Brasil não ganhava o primeiro jogo do Mundial

  • Fernando Signorini: "Se fosse o Messi, tinha dito que não à convocatória. Que joguem aqueles que o criticam"

    Mundial 2018

    Esteve em quatro Mundiais (1986, 1990, 1994 e 2010) e passou muitos anos, sobretudo, a cuidar da forma de Diego Armando Maradona, antes de olhar pela de Lionel Messi. A Tribuna Expresso falou com Fernando Signorini, antigo preparador físico da Argentina, no dia em que a seleção joga com a Islândia (14h, Sport TV1). Além da Pulga inevitável e da "crise" do futebol argentino, a conversa tocou na falta que fazem outra mentalidade e mais jogadores que, no fundo, pensem - porque "ganhar nunca é uma obrigação, é sempre uma possibilidade" e "um grau de tecido cerebral pesa mais do que 80 quilos de músculo"

  • Ele é o melhor - e não é apenas pelos golos

    Mundial 2018

    Ser o primeiro futebolista a marcar golos em oito fases finais consecutivas é o tipo de coisas que já esperamos de Cristiano, porque ele continua a banalizar recordes. E também esperamos sempre que ele jogue como jogou contra a Espanha - durante muito tempo, a não cometer um erro e a decidir sempre bem. A Tribuna Expresso fez a opção óbvia e escolhe Ronaldo como o melhor português em campo frente à Espanha

  • Os iranianos não precisam da nossa pena

    Grupo B

    Os jogadores do Irão tiveram quase tudo contra eles antes deste Mundial começar e durante muito tempo deste primeiro jogo. Mas pela falta de chuteiras, pelos equipamentos a terem que ser pagos e pelas seleções a recusarem defrontá-los em amigáveis, tiveram um auto-golo de Marrocos (1-0) que lhes deu uma vitória, 20 anos depois

  • Bernardo Silva: “Falhar o Europeu foi duro, pensei que podia lá estar com eles. Passados dois meses ainda estavam todos contentes”

    Mundial 2018

    A seleção terá no Mundial um extremo que pensa como um médio e que, após um ano com Pep Guardiola, no Manchester City, está melhor (e diferente). Bernardo Silva deverá ser titular hoje (19h, RTP1), contra a Espanha, no lado direito do ataque de Portugal, a partir dos mesmos sítios onde mais deu nas vistas no AS Monaco, em França, e em Inglaterra, esta época