Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Benfica com o maior lucro de sempre

A sociedade anónima desportiva do Benfica lucrou 20,4 milhões de euros no ano 2015/16. A dívida aos bancos desceu até por substituição por empréstimos obrigacionistas - mas a dívida a fornecedores aumentou, o que resultou num aumento do passivo.

Lídia Paralta Gomes

Comentários

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica

tiago miranda

Partilhar

O Benfica fechou o exercício da época 2015/16 com lucros recorde de 20,4 milhões de euros, quase o triplo do valor da época anterior (um crescimento de 188,4% sobre os 7,1 milhões de 2014/15). Nos três anos em que o Benfica foi campeão, os resultados foram sempre positivos. Números indicados no relatório e contas enviado esta quarta-feira à CMVM (Comissão do Mercado de Valores Mobiliários).

Receitas na Champions League e com vendas de jogadores são os factores essenciais para o aumento dos resultados.

Num ano em que chegou aos quartos de final da Liga dos Campeões, quando perdeu contra o Bayern Munique, a SAD arrecadou na competição 35 milhões de euros, mais do dobro dos 14,5 milhões da época anterior, quando ficou pela fase de grupos.

Chegar longe na Liga dos Campeões teve ainda impacto nas receitas de bilheteira, que num ano aumentaram de cinco para 7,3 milhões, mais 41,8%.

A "mina" da Luz
Renato Sanches e Nico Gaitán foram as duas vendas mais lucrativas do Benfica na temporada passada, ajudando o clube da Luz a registar um recorde de receitas na SAD, que pela primeira vez superou o patamar dos 200 milhões de euros: 211 milhões em 2015/16, um crescimento anual de 14%. Já as receitas de todo o Grupo SLB, que incluem outras fontes de receitas, subiram para 236,6 milhões.

"Os rendimentos com transações de direitos de atletas ascendem a 81,9 milhões de euros", afirma o clube em comunicado, "o que representa um crescimento de 3,9% face ao período homólogo, sendo de destacar os ganhos obtidos com as transferências dos atletas Renato Sanches, Gaitán, Ivan Cavaleiro e Lima".

O Benfica tem o maior passivo entre as SAD portuguesas e ele aumentou na época passada, para 455,5 milhões de euros, mais 6% que na época passada. Este aumento decompõe-se no entanto em duas vertentes: a dívida bancária desceu, em parte por substituição de dívida por obrigações (o clube realizou duas emissões obrigacionistas); e a dívida a fornecedores subiu.

Se o passivo da SAD do Benfica aumentou, o ativo também - e mais: 10,7%, para 476,4 milhões de euros. Desta relação resultou um reforço do capital próprio da sociedade desportiva, que passou para 20,9 milhões de euros.

Prémios de jogo aumentam gastos
Num ano de resultados desportivos positivos (vitória na Liga e quartos de final na Champions), verificou-se um crescimento de 3,1% dos gastos com pessoal, que incluem os salários dos jogadores de futebol. Na época passada, o Benfica “pagou” 61,5 milhões em custos com pessoal, mais quase dois milhões do que os 59,6 milhões do ano anterior.

Os números são justificados pela SAD com o aumento das remunerações variáveis, nomeadamente os prémios de jogo. A SAD garante no entanto que as remunerações fixas (a “folha salarial”) do plantel foram mais baixas.