Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Gestor do Benfica responde a vice do Sporting: "Se quiser falar, estamos aqui"

Soares de Oliveira reage a declarações de Carlos Vieira, que acusou a SAD benfiquista de não apresentar contas consolidadas. O Benfica também as tem, mas só as mostra a quem quer. Soares de Oliveira gaba-se: "o Benfica traz dinheiro para Portugal".

Lídia Paralta Gomes e Pedro Santos Guerreiro

Comentários

Soares de Oliveira, administrador financeiro do Benfica

joão lima

Partilhar

"O Benfica tem contas consolidadas, que apresenta aos seus parceiros e que discute internamente". É a resposta de Domingos Soares de Oliveira, administrador financeiro da SAD do Benfica, a Carlos Vieira, vice-presidente do Sporting, que esta quarta feira de manhã afirmou: "Só Sporting e FC Porto apresentam contas consolidadas".

As contas individuais da SAD do Benfica foram apresentadas esta tarde, registando lucros superiores a 20 milhões de euros. Não são tornadas públicas as contas consolidadas, que refletem relações entre empresas diferentes do grupo. Domingos Soares de Oliveira desvaloriza o facto. E ironiza: "Carlos Vieira tem as suas preocupações próprias. Os resultados do Sporting são conhecidos..."

Recorde-se que o Sporting apresentou prejuízos de 31,9 mlihões de euros na temporada 2015/16.

"Acredito que [Carlos Vieira] queira falar do Benfica. Se quiser falar, estamos aqui disponíveis", rematou.

Crescimento das receitas
Estas declarações foram proferidas por Domingos Soares Oliveira enquanto apresentava aos jornalistas as contas da SAD relativas ao ano 2015/2016, temporada em que o Benfica alcançou o maior lucro de sempre.

O administrador financeiro dos "encarnardos" realçou "o crescimento importante das receitas, quer da SAD, quer do clube". E especificou: "A SAD ultrapassa pela primeira vez a barreira dos 200 milhões [num ano], com um conjunto de receitas de 212 milhões de euros; o clube [alcançou] mais de 235 milhões de euros. Isso parece-me muito relevante, ainda mais no contexto atual. Em qualquer setor económico é importante, em particular em Portugal".

As receitas da Champions foram o maior contributo para o crescimento, notou Soares de Oliveira, "apesar de termos crescido em todos os 'streams' da nossa atividade".

Este crescimento das receitas alimentou a subida dos resultados líquidos, que superou os 20 milhões de euros. "Isso permite-nos ter um crescimento muito significativo nos capitais próprios", resumiu o administrador. Que listou um terceiro aspeto: o crescimento das receitas internacionais. "O Benfica tem hoje de mais 60% das receitas no mercado internacional. É dinheiro que o Benfica traz de fora para Portugal".

"É isso que nos tem permitido manter os nossos investimentos e manter a nossa dívida estável", afirmou Soares de Oliveira. "Sempre referimos que queríamos que as receitas fossem iguais à dívida. O crescimento das receitas e a estabilização da dívida tem-se mantido ao longo dos anos. Acreditamos que no próximo mandato esse objectivo será alcançado".

Em relação ao passivo, o administrador financeiro realçou a "substituição da dívida à banca pela dívida obrigacionista", justificando:. "É uma tendência que se vai manter nos próximos anos. Queremos apresentar ao mercado produtos alternativos nos quais se possa confiar, como foi o caso das duas emissões obrigacionistas deste ano."

Recorde-se que os bancos têm apertado a concessão de crédito a clubes de futebol, pressionando aliás a amortização de empréstimos. O Benfica tem-no feito também através de empréstimo obrigacionistas.