Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Caso dos “vouchers”. “JN” diz que Judiciária investiga os últimos três títulos do Benfica

O inquérito está a ser conduzido por unidade especial da PJ e incide sobre os crimes de corrupção ativa e passiva. Neste momento, ainda está por apurar o valor total das ofertas aos árbitros dos encarnados

Expresso

JOS\303\211 SENA GOUL\303\203O

Partilhar

Para além das temporadas 2013/14 e 2014/15, a Polícia Judiciária está também a investigar a época 2015/16 do Benfica, quando se sagrou campeão pela terceira vez seguida, no processo-crime relativo ao caso dos “vouchers”, avança o “Jornal de Notícias” esta segunda-feira.

Segundo o matutino, o inquérito está a ser conduzido por unidade especial da PJ e incide sobre os crimes de corrupção ativa e passiva. Neste momento, ainda está por apurar o valor total das ofertas aos árbitros dos encarnados. Vários árbitros, assistentes, observadores e delegados aceitaram prendas do clube, revela o “JN”.

Oferecer trinta euros por refeição a cada um dos quatro elementos das equipas de arbitragem, em convites dentro das caixas conhecidas por ‘Kit Eusébio’, eram práticas regulares também nos encontros da equipa A e B do Benfica.

Como o Expresso já tinha noticiado na semana passada, nos últimos meses chegaram ao Ministério Público sete queixas anónimas sobre os vouchers oferecidos pelo Benfica aos árbitros. As denúncias têm, no entanto, uma particularidade: são iguais.

A investigação iniciou-se em outubro de 2015, depois de o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, no programa “Prolongamento”, ter acusado o Benfica de corrupção desportiva. O dirigente disse ter conhecimento de que os encarnados davam “prendas” aos quatro árbitros, aos dois delegados da Liga e ao observador dos árbitros em todos os jogos.