Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Ano novo, nova vitória

O Benfica começou 2017 tal e qual como acabou 2016: a ganhar. Na 2ª jornada da Taça da Liga, a equipa de Rui Vitória goleou o Vizela, da 2ª Liga, por 4-0, com um bis de um goleador especial que voltou à titularidade: Jonas

Expresso

Comentários

Jonas regressou à titularidade, quatro meses depois - e aos golos

Tiago Petinga/Lusa

Partilhar

O Benfica de 2016 foi assim: 54 jogos, 44 vitórias, 81,48% de sucesso. O Benfica de 2017, para já, está assim: um jogo, uma vitória, 100% de sucesso.

É certo que o adversário era, teoricamente, acessível - o Vizela é 11º classificado da 2ª Liga -, mas o Benfica entrou em 2017 com a mesma vontade de ganhar de 2016, em que teve um ano para recordar.

Mesmo com várias mudanças no onze inicial (Yuri Ribeiro voltou a ser titular, depois do jogo que fez contra o Real, tal como Zivkovic e Carrillo), o Benfica raramente permitiu ao Vizela que saísse do próprio meio-campo, ainda que a equipa de Rui Quinta - ex-treinador do Penafiel e ex-adjunto de Vítor Pereira no FC Porto - tenha estado sempre bem organizada defensivamente, num 4-1-4-1 muito compacto que foi procurando retirar espaço de jogo aos benfiquistas.

Só que Lamelas não é Zivkovic e Kukula não é Jonas - e por aí fora - e o Vizela nunca conseguiu transitar com sucesso para a frente nem suster a criatividade do ataque benfiquista, onde se destacaram precisamente o extremo sérvio, que reclamou por mais minutos, e o avançado brasileiro, que mostrou que já está próximo do nível que tinha antes da lesão que o afastou dos relvados vários meses.

Com a classe de Jonas e a irreverência de Zivkovic a comandar as operações, o Benfica esteve sempre a rondar a baliza de Pedro Albergaria e Mitroglou até marcou logo aos 11', só que em fora de jogo. Mas o golo não demorou muito mais: aos 26', na sequência de um canto, Zivkovic assistiu e Mitroglou marcou.

Até ao intervalo, o Vizela - que não rematou - só chegou perto da baliza de Ederson por uma vez, num canto, mas sem qualquer perigo. Pelo contrário, o Benfica entrou na 2ª parte a criar lances de perigo e aproveitou mais um canto para chegar ao 2-0: Zivkovic voltou a assistir e desta vez foi Lisandro a cabecear para golo.

O jogo estava - e foi - fácil e a cereja em cima do bolo surgiu aos 57': livre direto descaído para a esquerda que Jonas assumiu na perfeição, fazendo o 3-0. Regresso perfeito do goleador à titularidade, que ainda melhorou três minutos depois: mais uma assistência de Zivkovic, golo de cabeça de Jonas.

4-0, vitória simples e qualificação quase garantida para a próxima fase da Taça da Liga (basta um empate na 3ª jornada, dia 10, contra o Vitória de Guimarães). Resumindo: do Benfica para os adeptos, votos de um bom ano.