Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Rui Vitória. “Hoje fomos muito fortes”

“Jogar contra o Benfica quando estamos num momento de disponibilidade física e mental não é fácil, porque temos uma grande variabilidade”, diz o técnico encarnado

Lusa

MÁRIO CRUZ / Lusa

Partilhar

Rui Vitória (treinador do Benfica): "Felizmente tenho estado satisfeito nestas primeiras jornadas. Vimos hoje uma verdadeira equipa a funcionar como tal, que soube muito bem o que tinha a fazer em todos os momentos. Fizemos cinco golos, estes dois últimos já no fim deixaram o resultado mais condizente com a exibição. Hoje fomos muito fortes, coletivamente estivemos muito bem. Fizemos cinco golos de forma justa e meritória perante um adversário de qualidade.

(Sobre a atuação de Jonas, autor de três golos) Perante a exibição coletiva que fizemos e o jogo que fizemos - fazer bem as coisas mais simples -, particularizar num jogador é reduzir algo que não deve ser reduzido.

(Sobre a importância de marcar logo aos dois minutos) Entrámos forte, hoje queríamos também entrar forte. As coisas não nascem por acaso. Foi logo ao início, mas podia ter sido mais à frente. Jogar contra o Benfica quando estamos num momento de disponibilidade física e mental não é fácil, porque temos uma grande variabilidade. Umas vezes foi com o jogo por fora, outras no jogo por dentro. Há um primeiro golo que, de facto, abre o jogo, mas 5-0 não deixa nada a dizer.

(Sobre a aparente facilidade nos triunfos dos 'grandes') Na semana passada vimos todos a dificuldade que os três grandes tiveram para ganhar. Uma das coisas que temos no nosso campeonato é que podemos ter agora um jogo assim e outro a seguir muito complicado. Não há um padrão. Uma das grandes riquezas que uma equipa como a nossa tem de ter é perceber estes contextos. Nunca sabemos qual é o jogo decisivo. O foco tem de ser total em todos os jogos.

(Sobre as lesões de Salvio e André Almeida) Estamos numa altura muito prematura e o jogo acabou há pouco tempo. O André andou durante a semana com algumas limitações e acabámos por poupá-lo nos momentos finais. O Salvio ainda vamos ver a questão do joelho e a sua gravidade, mas esperamos que não seja nada para poder ter todos os jogadores disponíveis e ter as boas dores de cabeça de escolher onze.

(Sobre a boa entrada na Liga) Fizemos hoje o que tínhamos a fazer: respeitar o adversário, saber o que o Belenenses ia fazer e jogar em função disso. Sabíamos que tínhamos jogos de grau de dificuldade elevado e jogámos muito bem. Vem agora um jogo muito difícil e estamos preparados para ele. Há muito mérito deste grupo, que tem feito um trabalho fantástico.

(Comentário à exibição de Filipe Augusto no lugar de Fejsa) A equipa até tentou pressionar essa zona. Significa que os jogadores entendem que as oportunidades surgem a qualquer momento e que a nossa forma de ver o jogo é muito coletiva e automatizada. Percebemos as realidades de cada jogador e moldamos o nosso jogo em função das caraterísticas de cada um. Temos jogadores com tipologias diferentes e todos vão dando resposta. Um jogo é fundamentalmente um jogo de tomadas de decisão e de inteligência. Fico satisfeito que o Filipe tenha estado muito bem."