Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Rui Vitória: “Eu faltei ao respeito a alguém? Mas eu faltei ao respeito a alguém? Serei respeitador até a minha demência bater aqui dentro”

A animada conferência de imprensa em que o treinador do Benfica disse que não estava a responder a Sérgio Conceição, que o chamara de “boneco”

Expresso

MANUEL DE ALMEIDA/ Lusa

Partilhar

Era previsível que a conferência de imprensa fosse por este caminho e Rui Vitória seguiu-o de uma forma mais acalorada do que o costume. O que se segue é a transcrição das seis perguntas e seis respostas longas na sala de imprensa do centro de estágios do Seixal.

O que espera da segunda volta que arranca agora?
Não sabemos muito bem como é que as coisas vão correr. Há uma série de contextos – o mercado, as competições, os contratempos – que tornam o campeonato mais específico. Há várias lutas e por isso várias dificuldades. Nós estamos preparados para todas essas vicissitudes e estamos habituados a exigências.

Há dois anos houve uma guerra de palavras consigo e com outro treinador [Jorge Jesus] e o Rui acabou por sagrar-se campeão. Vai acontecer outra vez? Por outro lado, o que tem a dizer sobre as palavras de Sérgio Conceição?
Primeira parte da pergunta: tenho sempre ambição de ser campeão. Segunda parte, sobre o treinador do FC Porto, tenho de fazer um preâmbulo. Isto que fique claro: este episódio não começou aqui, que fique claro, mas termina aqui, da minha parte. Depois, tenho ouvido coisas destas: haja respeito pelos treinadores. Mas eu faltei ao respeito a alguém? Mas eu faltei ao respeito a alguém? Não aceito que digam isso da minha pessoa. Nunca ultrapassei os limites e não aceito ser metido dentro do mesmo saco. O treinador do FC Porto que disse o que disse e agora que assuma as suas responsabilidades. Sou um treinador de equipa grande, mas sou uma pessoa normal. Fiz um percurso de baixo para cima, atingindo objetivos em todos os clubes por onde passei. Falo o que quero, da forma que quero, e sei a responsabilidade e a importância do cargo e do clube que represento. Da minha parte, houve sempre respeito. Não vale tudo para ganhar. Não aceito que ultrapassem o limite comigo. De há duas semanas para cá há um ataque ao Benfica e os benfiquistas já perceberam isto. Serei sempre assim até a minha demência bater aqui dentro. Nunca pedi a ninguém para treinar um clube. Ponto final. Mas é que é mesmo ponto final.

Mas sentiu-se ofendido pelas palavras de Sérgio Conceição, que lhe chamou “boneco”?
Parece que estamos naqueles programas em que estão dois ou três jovens com gin, vodka, e na manhã seguinte diz o seguinte: “Houve sexo na Casa dos Segredos”. Eu estou a dar a minha opinião. Está respondido, não quero responder mais. Siga.

Mas alguma vez sentiu-se condicionado por alguém para falar?
Mas vocês acham que eu sou uma criança? É preciso chatear-me ou gritar convosco para parecer que sou melhor? Não brinquemos com isto. O que é que isto interessa? Já dei a minha opinião aqui. Tenho a minha confiança e a minha cabecinha limpa – e estou resolvido da vida. Eu sei aquilo que faço e estou de consciência tranquila.

Confirma a saída de Lisandro? E quer reforços?
Nunca disse que queria reforços; se vier alguém, tem de acrescentar alguma coisa. Os jogadores que tiver comigo... vou potenciá-los até ao limite, mas não vou falar de nada até haver algo de concreto.

Abel elogiou o seu trabalho. O que tem a dizer sobre isto e sobre o Braga?
Olhe, parabéns pela pergunta que fez. O Abel foi escorreito, educado e elegante. Também reafirmo o que ele disse: é ambicioso, tem qualidade. Espero que o Braga dê uma boa resposta. É uma equipa que joga de forma peculiar, com algumas nuances interessantes, a fase de construção com três jogadores. É um Braga de qualidade, mas isso eu já sabia.

[Entretanto, Ricardo Lemos, da comunicação do Benfica, diz que os teasers que estão a correr a internet não estão corretos: “Rui Vitória não estava a responder a Sérgio Conceição, ok?]

Digo uma vez mais: não estou a responder a ninguém.