Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Golos, histórias, João Carvalho e Silas - guia prático para o Belenenses-Benfica

Esta segunda-feira (21h), há dérbi no Restelo: os azuis defrontam os encarnados que podem chegar à liderança provisória do campeonato em caso de vitória

Sara Correia

RICARDO NASCIMENTO/LUSA

Partilhar

Desde os anos 30 que o Belenenses e o Benfica estão no frente-a-frente, num total de 245 confrontos. Em vantagem está o Benfica que soma 140 vitórias frente ao Belenenses, enquanto que a equipa do Restelo saiu vitoriosa apenas 58 vezes. Em casa dos azuis, que é onde o dérbi desta noite se disputa, o Benfica venceu 54 encontros e perdeu 43.

Só que o histórico recente diz o seguinte: que o Benfica venceu os últimos oito jogos frente ao Belenenses que não conseguiu marcar um golo sequer aos encarnados; mais do que isso, o Belenenses não faz golos em casa ao Benfica vai para mais de dez anos (2007, por Weldon, triunfo por 1-0 dos rapazes do Restelo, então treinados por Jorge Jesus).

Mas... é possível que a história mude?

Possível, é sempre, mas o Belenenses apanha o Benfica numa das suas melhores fases: não perde há sete jogos e venceu os três últimos encontros disputados fora da Luz. Por outro lado, os jogadores do Benfica têm outro aliciante: a liderança, ainda que à condição, pois o FC Porto joga esta terça-feira, com o Moreirense, e o Sporting defronta o Vitória de Guimarães na quarta-feira.

O factor João Carvalho

No último jogo do Benfica, os alarmes soaram com a lesão de Filip Krovinovic que afastou o jogador dos relvados até ao final da época. Nos 11 iniciais, frente ao Belenenses, João Carvalho é o médio que vai assumir a ausência do jogador croata. Para Rui Vitória, Carvalho é um jogador que vê coisas que os outros não vêem e que pensa mais rápido do que os outros pensam. O jogo com o Belenenses será um teste a sério para um futebolista que o Benfica quer preparar para a titularidade, não esporádica, mas a longo prazo.

O factor Silas

Silas assumiu o comando do Belenenses e Rui Pedro Soares, presidente da SAD do clube, comparou-o a André Villas-Boas e a Mourinho. Certo. Mas a avaliar apenas pelo discurso - Silas ainda só comandou o Belenenses num jogo - percebe-se a ambição do novo técnico dos azuis. “Não vou assinar por baixo um empate em nenhum jogo. Não há cá essa coisa do ‘ah, não é da nossa liga’. Não! Todos as equipas são da nossa liga”. Enquanto jogador, Silas encontro o Benfica em 16 ocasiões: ganhou duas e marcou dois golos.