Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Francisco J. Marques acusa Ricardo Araújo Pereira de ser mais um “cartilheiro” do Benfica

Francisco J. Marques divulgou uma conversa que envolve Ricardo Costa - assessor jurídico “clandestino” do Benfica, de acordo com o dirigente portista -, Paulo Gonçalves e Ricardo Araújo Pereira, no sentido de aconselhar o humorista num diferendo que mantinha com Miguel Sousa Tavares

Expresso

Partilhar

Na última edição do programa da TVI24 “Governo Sombra”, Ricardo Araújo Pereira disse, a propósito das notícias da Operação Lex, ter contactado duas fontes do Benfica para se pôr a par da situação polémica que envolvia Luís Filipe Vieira.

Estas garantiram-lhe que não era verdade que Vieira tinha “prometido cargos ao juiz Rui Rangel” no clube encarnado e que as buscas realizadas no Estádio da Luz implicavam não o Benfica.

Dito isto, é quase certo que Francisco J. Marques, responsável de comunicação do FC Porto, tenha assistido a este programa.

Porquê? Na terça-feira à noite, no Porto Canal, Francisco J. Marques divulgou uma conversa onde Ricardo Costa - assessor jurídico “clandestino” do Benfica, de acordo com o dirigente portista - pede a Paulo Gonçalves, assessor jurídico do Benfica, o contacto de Ricardo Araújo Pereira no sentido de o aconselhar num diferendo que este mantinha com Miguel Sousa Tavares através das suas crónicas num diário desportivo.

Segundo Francisco J. Marques, Ricardo Araújo Pereira foi abordado e aceitou que o seu contacto fosse partilhado.

“Ricardo Araújo Pereira acaba por cair no âmbito dos cartilheiros. No ‘Governo Sombra’ pode, se quiser, esclarecer se é verdade que recebeu informações de Ricardo Costa através de Paulo Gonçalves e do Benfica. Até ele se deixou envolver nesta massificação das ideias e na máquina de propaganda do Benfica”, desafiou o responsável do FC Porto na terça-feira à noite.