Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Luís Filipe Vieira foi ouvido no DIAP como arguido

"Foi ouvido como arguido no DIAP de Lisboa, no âmbito de um inquérito em que se investiga a eventual prática de um crime de difamação", explicou o Ministério Público

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica

António Pedro Santos/Lusa

Partilhar

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, foi ouvido quarta-feira no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, como arguido, num processo após o jogo jogo Desportivo das Aves-Benfica, confirmou o Ministério Público.

"Foi ouvido como arguido no DIAP de Lisboa, no âmbito de um inquérito em que se investiga a eventual prática de um crime de difamação", pode ler-se na comunicação enviada à Lusa pelo Ministério Público.

Os acontecimentos remontam a novembro passado, quando, numa entrevista à BTV, Luís Filipe Vieira denunciou a presença de “quatro capangas” atrás de dirigentes dos ‘encarnados’ depois do jogo em casa do Desportivo das Aves, disputado em 22 de outubro, e que os tetracampeões nacionais venceram por 3-1.

"Já me assaltaram a casa duas vezes, já me atiraram pedras ao carro (...). A prova mais flagrante foi o que nos fizeram nas Aves. Tínhamos quatro capangas sempre atrás de nós, todos SuperDragões, identificados, a ameaçarem o Paulo Gonçalves. Aquela situação, no final do jogo não foram adeptos do Benfica, foi aquela tropa. Não vamos ter medo", disse, na ocasião, Luís Filipe Vieira.

Após estas declarações, o dirigente 'encarnado' terá sido alvo de uma queixa por difamação.

  • Luís Filipe Vieira ouvido no DIAP

    Atualidade

    O presidente do Benfica está a ser ouvido, esta quarta-feira à tarde, na 15ª Secção do Departamento de Investigação e Ação Penal, em Lisboa. Em causa está o Aves-Benfica, jogo em que Vieira disse ter sido ameaçado