Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Investigação a Paulo Gonçalves ‘despejada’ na Internet

Documento de 29 páginas sobre a operação e-toupeira, que está em segredo de justiça, divulgado na íntegra num blogue esta sexta-feira

Hugo Franco, Pedro Candeias e Rui Gustavo

SAD do Benfica pode vir a ser o sexto arguido da operação e-toupeira, caso se prove que beneficiou da informação alegadamente recolhida pelo assessor jurídico do clube Paulo Gonçalves

Foto José Oliveira

Partilhar

O inquérito da 9ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, que investiga o caso e-toupeira, foi divulgado esta sexta-feira no blogue Mercado de Benfica.

O documento, em segredo de justiça, tem 29 páginas e refere os pormenores da investigação desencadeada nos últimos meses ao assessor jurídico do Benfica, Paulo Gonçalves, e ao oficial de justiça José Augusto Nogueira da Silva, que está em prisão preventiva por causa deste processo.

Paulo Gonçalves é suspeito de corrupção ativa e ficou em liberdade depois de ter sido ouvido na semana passada pela juíza de instrução Cláudia Pina. O Ministério Público e a Polícia Judiciária têm fortes indícios de que o funcionário da SAD do Benfica recebeu informação confidencial de investigações em curso sobre o clube por parte do funcionário judicial.

A SAD do Benfica pode ainda ser constituída arguida caso caso se prove que tenha sido beneficiada da informação alegadamente recolhida por Paulo Gonçalves.

O caso e-toupeira tem mais três arguidos: dois funcionários judiciais e um agente desportivo.

Desde o último fim de semana que o Benfica tem montado um gabinete de crise, que prepara ações judiciais contra os que coloquem em causa o bom nome do clube.

De acordo com o documento do DIAP de Lisboa, entre outros, José Augusto Nogueira da Silva teve acesso ao inquérito a Bruno de Carvalho (depois das denúncias da Federação Portuguesa de Futebol contra o declarações do presidente do Sporting no programa "Prolongamento", na TVI24, em 2015). Também acedeu ao processo relacionado com a denúncia anónima contra o Benfica por alegado esquema de corrupção na arbitragem.