Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

YoungNetwork processa Pedro Guerra e Luís Bernardo e espera ser paga “em vouchers, camisolas e lugares na Tribuna Presidencial”

Em causa estãos as declarações do diretor de comunicação e do comentador desportivo sobre um funcionário da agência de comunicação. De fora deste processo está Hugo Gil, porque seria “considerado, em caso de condenação, inimputável”.

Expresso

Tiago Miranda

Partilhar

A YoungNetwork, empresa de comunicação que colabora em regime outsourcing com o Sporting, vai processar Luís Bernardo e Pedro Guerra, respetivamente, diretor de comunicação do Benfica e comentador televisivo ligado aos encarnados. Em causa, estão as declarações de ambos sobre João Capitão, funcionário da YoungNetwork. Segundo Luís Bernardo e Pedro Guerra, João Capitão é o autor do “Mister do Café”, um blogue ligado ao Sporting que, de acordo com os mesmos, terá violado o segredo de justiça.

Na sua última edição, o Expresso já tinha escrito sobre a intenção do Benfica em processar João Capitão por estes motivos, tendo João Duarte, CEO da YoungNetwork, refutado as suspeitas. “É mentira que João Capitão seja o autor do blogue”.

Por isso, a empresa irá, citando o comunicado chegado às redações, “pedir em tribunal uma indemnização cível a Luís Bernardo, Pedro Guerra e outras figuras menores, a ser paga, se possível, em vouchers da Catedral da Cerveja, camisolas do Benfica autografadas pelo plantel e lugares na Tribuna Presidencial”. No mesmo tom irónico, a YoungNetwork diz não querer “que nenhum funcionário judicial a informe do andar do mesmo [o processo], e muito menos que aceda ao sistema com passwords alheias”.

De fora desta acusação está Hugo Gil, autor da página com o mesmo nome, que também terá acusado João Capitão de ser funcionário da YoungNetwork. “Dificilmente conjugaria um sujeito com um predicado quanto mais gerir esse depósito de escárnio e mal dizer. [...] Hugo Gil seria considerado, em caso de condenação, inimputável”.