Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Suspeitas de lavagem de dinheiro: buscas no Benfica resultam em quatro arguidos

Brigada da Polícia Judiciária esteve na terça-feira nas instalações do clube. Em causa, suspeitas de branqueamento de capitais e fraude fiscal

Hugo Franco, Pedro Candeias e Rui Gustavo

Gualter Fatia

Partilhar

Fonte oficial da Polícia Judiciária diz ao Expresso que as buscas efetuadas ao Estádio da Luz na terça-feira, no âmbito de suspeitas de branqueamento de capitais e fraudes fiscais, resultaram em quatro arguidos.

O caso está a ser investigado pela secção de branqueamento de capitais da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ.

Registe-se que o Jornal de Notícias escreve, esta quarta-feira que o “Ministério Público e a Polícia Judiciária realizaram novas buscas ao Benfica” por “suspeitas de fraude fiscal e branqueamento de capitais”. Segundo o “JN”, a investigação procura “esclarecer se os montantes faturados por várias empresas ao Benfica tinham na sua base efetivas prestações de serviços ou se foram apenas uma forma de justificar a saída de alguns milhões de euros das contas dos encarnados”. Por outras palavras, o MP e a PJ desconfiam de lavagem de dinheiro na Luz.

Ao Expresso, a Procuradoria Geral da República confirmou “a realização de buscas no âmbito de um inquérito dirigido pelo MP do DIAP de Lisboa”. Fonte oficial da PGR garante que “neste inquérito de se investigam fatos suscetíveis de integrar a prática de crimes de branqueamento de capitais, tendo como ilícito precedente o crime de fraude fiscal”. A PJ também confirma as buscas e o teor da investigação.

Em reação a esta notícia, o departamento de comunicação do Benfica diz ao Expresso que o “clube não fará nenhum comentário. É um processo que resulta de uma denúncia anónima e que envolve terceiros”.