Tribuna Expresso

Perfil

Ciclismo

Ciclista alemão esmurrado durante uma corrida (sim, é mesmo verdade)

Marcel Kittel, líder da Dubai Tour em ciclismo, foi esmurrado durante a terceira fase da corrida. O violento acto foi protagonizado pelo rival ucraniano, Andriy Grivko. É caso para dizer que a inveja é mesmo muito feia

Filipa Bulha Pereira

Marcel Kittel tem 28 anos e é ciclista da Etixx-Quick Step

STRINGER/GETTY

Partilhar

Vale tudo menos tirar olhos, certo? Errado. No ciclismo pedala-se... e não se esmurra. Ao contrário do que fez Andriy Grivko a Marcel Kittel.

"Quando passámos um local de construções, a areia começou a esvoaçar e assim que entrámos nas 'crosswinds', começámos a lutar pela posição, o que é sempre frenético, e Andriy Grivko esmurrou-me", contou Kittel ao site oficial da sua equipa, a Etixx-Quick Step.

Escusado será dizer que o ciclista (boxista?) ucraniano foi desqualificado depois da agressão ter sido confirmada.

"Ele não tinha o direito de agir assim. Podia ter magoado o meu olho", acrescentou Kittel.

Mas não se ficou por aí. O ciclista utilizou ainda a rede social Twitter para reforçar a denúncia e para lamentar o sucedido. Aproveitou para juntar uma fotografia, por si só, explicativa. É que nesta pode ver-se claramente o sangue a escorrer pela cara do atleta.

Kittel escreveu: "Não irei aceitar um pedido de desculpas para isto. Não tem nada a ver com o ciclismo. O que Grivko fez é uma vergonha para o nosso admirável desporto".

Perante estas declarações, pode assumir-se que o pedido de desculpas que a equipa do ucraniano chegou a fazer (a Kittel e à equipa) não foi aceite.

Apesar de admitir não ter estado focado 100% no sprint final, Kittel mostrou-se satisfeito por não ter lesões graves e por ter mantido a liderança (mesmo não tendo ficado no top 10 desta terceira fase).