Tribuna Expresso

Perfil

Ciclismo

Barguil: “Há dois meses estava numa cama de hospital sem poder andar”. Hoje venceu a segunda etapa de alta montanha no Tour

A Sunweb garantiu esta quinta-feira a vitória na etapa e a conquista de duas camisolas no Tour. Bardet conseguiu ganhar 4 segundos a Froome, mas o britânico despede-se dos Alpes com tudo para vencer a geral. Aru terá dito adeus ao pódio.

FILIPA SILVA

Chris Graythen

Partilhar

Warren “Wawa” Barguil é decididamente uma das figuras do Tour 2017. O francês assegurou esta quinta-feira, em definitivo, a conquista da camisola favorita da nação depois de ganhar mais uma etapa de alta montanha, a segunda desta edição.

Depois de Foix, foi a vez de Barguil brilhar no Izoard, subida mítica dos Alpes por onde o pelotão costuma passar, mas onde pela primeira vez terminou uma etapa.

Faltavam pouco mais de 6 quilómetros quando Barguil disparou do grupo dos favoritos em busca dos fugitivos que se seguraram na frente da corrida. A cerca de quilómetro e meio da meta, Barguil ultrapassou Atapuma (UAE Emirates) e seguiu caminho rumo a uma vitória segura.

“Há dois meses estava numa cama de hospital sem conseguir andar”, lembrou o corredor no final da primeira vitória de etapa, em Foix. Barguil recordava assim a queda feia que sofreu na Volta à Romandia e a fatura na anca que o levou ao hospital.

Participar no Tour foi uma decisão arriscada, mas os resultados estão aí para demonstrar que tomou a opção correta. A frescura com que chegou hoje ao final é invejável.

Dia de glória para Barguil e para a Sunweb que tem matematicamente garantidas as classificações da montanha e dos pontos, basta para isso que os dois corredores Barguil e Matthews - cheguem a Paris e o australiano já assumiu o desejo de fechar o Tour com chave-de-ouro, que é como quem diz com uma vitória nos Campos Elísios..

FROOME SEGURO, LANDA EM QUARTO

Para Chris Froome a chegada à meta, hoje, pode bem representar um respirar de alívio. Os Alpes estão passados sem que o britâncio tenha sido colocado em cheque pelos principais adversários.

Uran parece sempre mais reativo que ativo e Bardet não estica o suficiente para ganhar vantagem sobre o líder da Sky. Conseguiu ganhar quatro segundos por bonificação – foi terceiro na etapa – mas graças a um enorme esforço para ganhar uns milímetros a Froome.

Depois de concluída a 18ª etapa, Froome leva 23 segundos de vantagem sobre Bardet e 29 sobre Uran. É com essa vantagem que deve chegar ao contra-relógio de sábado, especialidade em que, pelo menos na teoria, é superior aos adversários mais diretos.

Nota para mais uma queda na classificação de Fabio Aru. A energia da primeira semana é mesmo coisa do passado e o campeão italiano voltou a ceder na etapa de hoje. Perdeu mais um minuto para Froome, passou para a quinta posição da geral – Landa é agora quarto – e vê praticamente esfumadas as hipóteses de chegar ao pódio.

Esta sexta-feira cumpre-se a antepenúltima etapa do Tour, a mais longa da edição – com 222 quilómetros – entre Embrun e Salon-de-Provence. Uma etapa irregular, de subida e descida, com três contagens de terceira categoria, favorável à ocorrência de fugas.