Tribuna Expresso

Perfil

Ciclismo

O ano em que Veloso quer trocar o amarelo do sorriso pelo da camisola. A Volta a Portugal sai à estrada esta sexta-feira

De Lisboa a Viseu são mais de 1600 quilómetros a pedalar. No pelotão, as equipas portuguesas estão em minoria mas é nas suas fileiras que se encontram os grandes favoritos à vitória final. Será o regresso de Veloso às vitórias depois do brilharete de Rui Vinhas no ano passado?

Filipa Silva

NUNO VEIGA

Partilhar

Com 90 anos e 79 edições para celebrar, a Volta a Portugal em Bicicleta sai à estrada esta sexta-feira, em Lisboa - onde terminou as últimas três edições - para o prólogo que lança os dados da competição.

O prólogo, de apenas 5,5 quilómetros de extensão, vai levar os 140 ciclistas inscritos a darem o máximo entre a Praça do Império, o Viaduto de Alcântara e de novo a Praça do Império, sempre pela zona ribeirinha. No final, cada segundo pode fazer a diferença, sobretudo numa volta tão curta quanto a portuguesa.

A Volta segue depois pelo Ribatejo e pelo Alentejo - um regresso -, onde vai passar o fim de semana, em etapas longas e planas, convidativas às fugas e às chegadas ao sprint. À terceira etapa, a prova começa a ganhar altitude e à quarta, marcada para a próxima terça-feira, a caravana chega à icónica Senhora da Graça. Entre Macedo de Cavaleiros e Mondim de Basto cumpre-se a etapa mais curta do programa, um primeiro teste para trepadores e para quem esteja a defender a amarela.

Até ao dia de descanso, marcado para dia 11, a Volta tem ainda chegadas previstas para o Monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo, onde José Gonçalves venceu em 2015 e um último aperitivo, na quinta-feira, dia 10, com a etapa que vai ligar Braga a Fafe e que repete a passagem do ano passado pelo Salto da Pedra Sentada, um estadão de terra batida conhecido pela passagem do Rali de Portugal.

O pelotão regressa à competição no sábado e, na segunda parte da Volta, o destaque vai para a penúltima etapa. Este ano não há (outra vez) chegada à Torre, há antes uma passagem pela Torre. A etapa-rainha da prova será seguramente a mais dura - com seis contagens de montanha pelo meio - e vai ligar a Lousã à Guarda, com passagem pela Serra da Estrela. A escalada à Torre vai fazer-se por Seia.

A competição termina em Viseu, no dia seguinte, num contra-relógio de 20 quilómetros, com chegada e partida marcadas para a Avenida Europa.

“V” de… Veloso?

O pelotão da Volta é formado por 140 corredores, sobretudo de equipas estrangeiras de segunda linha. Portuguesas são seis no total e estão nas suas fileiras os principais candidatos à vitória final.

O nome mais apontado é o de Gustavo Veloso da W52-FC Porto, vencedor das edições de 2014 e 2015. No ano passado, o espanhol viu-se ultrapassado pelas circunstâncias de uma fuga que haveria de fazer de Rui Vinhas o vencedor improvável da prova, deixando para Veloso um amargo segundo lugar. Este ano, será de vingança para o espanhol? Da parte da W52, pelo menos, não parece haver dúvidas: Veloso é o chefe-de-fila e é para a sua vitória que a equipa vai trabalhar.

Vinhas fará a sua parte, numa equipa que se apresenta em força, com Amaro Antunes e Raúl Alarcão também em bom plano na época e outro ex-vencedor da Volta na fila: Ricardo Mestre.

A rivalizar com a W52 estará seguramente a Sporting-Tavira de Vidal Fitas, com dois veteranos à cabeça: Rinauldo Nocentini e Alejandro Marque, este último vencedor da edição de 2013. Frederico Figueiredo poderá ser uma boa ajuda.

Destaque ainda para o regresso a Portugal de Sérgio Paulinho, para liderar a Efapel de Américo Silva e para a última Volta de Rui Sousa. O corredor da Rádio Popular-Boavista despede-se aos 41 anos da prova em que foi segundo em 2014 e terceiro em quatro edições.

Corre numa equipa assumidamente sem líder, à espera do que a Volta vai dizer, em com bons elementos, que podem surpreender, como João Benta ou Domingos Gonçalves.

Etapas

Prólogo Lisboa - Lisboa
1ª etapa liga Vila Franca de Xira - Setúbal
2ª etapa Reguengos de Montaraz - Castelo Branco
3ª etapa Figueira de Castelo Rodrigo - Bragança
4ª etapa Macedo de Cavaleiros - Mondim de Basto (Srª da Graça)
5ª etapa Boticas - Viana do Castelo (Monte de Santa Luzia)
6ª etapa Braga a Fafe
11 de agosto - Descanso
7ª etapa Lousada - Santo Tirso (Santuário Nossa Srª Assunção)
8ª etapa Gondomar - Oliveira de Azeméis
9ª etapa Lousã - Guarda
10ª etapa Viseu- Viseu (contra-relógio individual)