Tribuna Expresso

Perfil

Ciclismo

Volta a Portugal: Antunes abriu a Alarcon o caminho para a vitória na geral

Na subida à Torre, houve xeque mate. E a jogada decisiva teve a mão de Amaro Antunes. Só Alarcon teve pernas para o português, que sai da Guarda com um valioso pecúlio: vitória da etapa, classificação da montanha e a conquista da Volta em aberto. Trabalho da W52-FC Porto cilindrou a concorrência

FILIPA SILVA

Os colegas Amaro Antunes e Raúl Alarcon festejam a vitória da W52-FC Porto

NUNO VEIGA/LUSA

Partilhar

Diz o povo que quem vê caras não vê corações. E nisto do ciclismo, o cardio manda muito. Mas se a avaliação de quem está melhor na corrida dependesse apenas da expressão, Amaro Antunes seria provavelmente o nome a apontar no concurso de corredor em melhor forma nesta Volta a Portugal.

Esta segunda-feira, o líder do ranking nacional, voltou a ser decisivo. Acabou como vencedor da etapa, de braço dado com o camisola amarela, Raul Alarcon; conquistou a classificação da montanha e, num trabalho conjunto com o espanhol, deixou a concorrência a tal distância que só ele sai amanhã em Viseu em condições de disputar a geral.

Pela forma como falou no final, ao lado do camisola amarela, o português não atacará o primeiro lugar. À RTP, Amaro Antunes confessou-se muito satisfeito com o segundo lugar na geral e sublinhou que foi Alarcon quem andou de amarelo quase toda a Volta, pelo que será ele o merecido vencedor.

Seja como for, Antunes sai no contra-relógio individual desta terça-feira com 31 segundos de diferença para o camisola amarela. O terceiro classificado, que é agora Vicente de Mateos (Louletano), partirá com 5’04 para o líder.

Subida da Torre foi decisiva

Foi na subida ao ponto mais alto de Portugal continental que o destino da etapa se traçou. A estratégia da W52-FC Porto passou por um ataque de Amaro Antunes quando ainda faltavam 17 quilómetros para a chegada ao Alto. A “sapatada” deixou para trás toda a gente incluindo Gustavo Veloso que foi o primeiro a ceder.

António Carvalho ainda se deixou ficar para trás para tentar fazer reentrar Veloso, mas o vencedor da Volta de 2014 e 2015 não estava bem. Carvalho voltou a subir para ficar no grupo de Nocentini, De Mateos e a maioria dos contendores da Geral.

Já o camisola amarela, Raul Alarcon, tinha deixado o grupo para trás, partindo à procura de Amaro Antunes. E a ele chegou, num grupo onde estava mais um elemento da W52-FC Porto, Ricardo Mestre. No alto passaram os três acompanhados pelo líder da juventude, Krists Neilands (Israel Cycling Academy) que hoje segurou a camisola branca e ainda entrou nos 10 primeiros da geral.

O grupo de Nocentini, De Mateos e Marque, entre outros, já perdia mais de um minuto. Daqui para a frente, os homens do FC Porto nunca mais deixaram de ganhar tempo. No grupo perseguidor, havia pouca gente verdadeiramente interessada em encurtar de distâncias facto que a frente da corrida soube capitalizar.

Mestre ficou entretanto para trás e Neilands aguentou-se com Amaro Antunes e Alarcon até 15 quilómetros da meta. Depois os homens de azul e branco seguiram a solo. À chegada, colocaram-se lado a lado, abraçaram-se e deram mostra de um bom espírito de camaradagem. A vitória da etapa foi para um dos obreiros da excelente campanha da W52-FC Porto na Volta, Amaro Antunes.

Neilands segurou o terceiro lugar da etapa. De Mateos foi o primeiro homem do grupo perseguidor a cortar a meta: chegou a 4’40 dos primeiros classificados.

Volta a Portugal termina esta terça-feira

A 79ª Volta a Portugal chega ao fim esta terça-feira, em Viseu, num contra-relógio individual de 20 quilómetros planos, com partida e chegada na Avenida Europa. Raul Alarcon sai de amarelo e é quem leva mais esperanças de conquistar a geral da prova, título que pontuará uma grande época do espanhol.

Classificação Geral da Volta a Portugal à 9ª Etapa:

1.º Raúl Alarcón (W52 FC Porto), 41.19.59
2.º Amaro Antunes (W52 FC Porto), a 31s
3.º Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), a 5.04m
4.º Rinaldo Nocentini (Sporting Tavira), a 5.12m
5.º João Benta (Rádio Popular Boavista), a 6.32m
6.º Henrique Casimiro (Efapel) a 7.07m
7.º Alejandro Marque (Sporting Tavira) m.t.
8.º António Carvalho (W52 FC Porto), 7.16m
9.º Sérgio Paulinho (Efapel), a 7.39m
10.º Krists Neilands (Israel Cycling Academy) a 8.31m