Tribuna Expresso

Perfil

Ciclismo

Pirinéus dão liderança a Froome, etapa a Nibali e desilusão a Contador

Em Andorra La Vella, Vincenzo Nibali foi o vencedor da primeira etapa de alta montanha da Vuelta, numa chegada ao sprint com vários dos favoritos à geral. Froome veste de vermelho graças às bonificações. Contador perdeu mais de 2’30 e disse adeus à vitória na sua volta de despedida.

FILIPA SILVA

Para Vincenzo Nibali, esta foi a segunda vitória na Volta a Espanha.

JAIME REINA

Partilhar

Deu sinais de fraqueza na última subida do dia, mas recuperou o fôlego na descida em direção à meta e ainda lhe sobrou pulmão para um ataque nos últimos metros. Vincenzo Nibali (Bahrain) foi o vencedor da etapa que ligou esta segunda-feira Prades Conflent Canigó e Andorra la Vella, facto que lhe valeu ainda uma escalada na geral para a quinta posição onde está agora a 10 segundos do líder.

E o líder é novo. Ou antes, um velho conhecido. Chris Froome, que persegue uma inédita dobradinha Tour-Vuelta, beneficiou das bonificações arrecadas no sprint intermédio – aproveitando um momento mais sonolento dos adversários – e no final da etapa, em que foi terceiro, para subir pela primeira vez ao pódio, com a missão de vestir a camisola vermelha.

Ao terceiro dia, a Vuelta chegou à montanha e a incursão não foi meiga para os corredores. A etapa desta segunda-feira teve três contagens de montanha, duas de primeira categoria, e o resultado final foi uma arrumação geral na classificação, a dar os primeiros indicadores de quem está na competição com pernas para a ganhar.

E nesse teste há que destacar Chris Froome. Se o britânico deixou algumas interrogações quanto à sua forma no arranque do Tour, em Espanha o corredor da Sky está a dar sinais de frescura.

Esta segunda-feira, além da vitória no sprint intermédio, quando já estavam para trás o Col de La Perche e o de La Rabbassa, ele e a equipa tomaram o comando das operações. Depois, na subida ao Alto de La Comella, Froome atacou e só Esteban Chaves (Orica) teve resposta pronta para lhe dar.

Lá atrás, Romain Bardet (AG2R) e Fábio Aru (Astana) acabaram por responder e seguir na perseguição. Na terceira posição da corrida, ficava o grupo de Nibali que chegou a dar mostra de dificuldades. Passado o alto, começou a descida. Bardet e Aru conseguiram a junção com a frente da corrida, e o grupo de Nibali fez o mesmo já dentro do último quilómetro.

A fraqueza fez-se força e o vencedor da Vuelta de 2010 cruzou a meta em primeiro lugar, ele que soma assim a segunda vitória em etapas na Vuelta. David de la Cruz (Quick-step), já confirmado como reforço para a Sky na próxima temporada, foi segundo na etapa e subiu à terceira posição da geral, a par de Nicolas Roche e Tejay van Garderen, ambos da BMC.

O português Rui Costa também esteve em evidência na jornada de hoje. Rebocado por Darwin Atapuma, o poveiro atacou o grupo dos favoritos na subida ao Col de la Rabassa em busca de Geniez e Villella (novo camisola da montanha) que vinham na liderança da corrida, herdeiros últimos de uma fuga que estava em marcha desde os primeiros quilómetros da etapa.

Rui Costa foi 4º na Rabassa, mas o grupo foi apanhado pelo pelotão na descida. O ritmo imposto pela Sky foi duro e o português acabou por se atrasar, cortando a meta com 1’14 para Nibali.

Vergado pela montanha foi Alberto Contador. O “pistoleiro”, que este ano se despede do ciclismo de alta competição, quebrou na terceira e última subida do dia, cortando a meta com mais de 2’30 para os da frente. Está agora na 30ª posição da geral, a 3’10 de Froome e em condições normais completamente afastado da possibilidade de vitória. O espanhol da Trek não se coibirá, seguramente, de aparecer em melhor plano na corrida, mas a conquista da quarta Vuelta fica afastada.

Amanhã, terça-feira, o pelotão encontra novamente uma etapa longa e plana, entre Escaldes-Engordany e Tarragona. Uma chegada ao sprint ou em fuga é o desfecho mais provável.

Classificação geral no final da 3ª etapa
1. Chris Froome (Sky) com 08h53’44’’
2. David de la Cruz (Quick-step) a 02’’
3. Nicolas Roche (BMC) a 02’’
4. Tejay Van Garderen (BMC) a 02’’
5. Vincenzo Nibali ((Bahrain) a 10’’
6. Esteban Chaves (Orica) a 11’’
7. Fabio Aru (Astana) a 38’’
8. Adam Yates (Orica) a 39’’
9. Domenico Pozzovivo (AG2R) a 43’’
10. Romain Bardet (AG2R) a 48’’
...
23. Nélson Oliveira (Movistar) a 1’54
26. Rui Costa (UAE Emirates) a 1’58
61. Ricardo Vilela (Manzana) a 11’16
71. José Gonçalves (Katusha) a 14’22
188. Rafael Reis (Caja Rural) a 31’33