Tribuna Expresso

Perfil

Ciclismo

Volta a Espanha: Vitória para o Cazaquistão e mexidas na geral no final da quinta etapa

Alexey Lutsenko festejou a primeira vitória numa grande volta esta quarta-feira em Alcossebre. Chris Froome voltou a mostrar boa forma. Tejay Van Garderen e Esteban Chaves subiram ao pódio da geral.

FILIPA SILVA

Alexey Lutsenko conquistou, aos 24 anos, a primeira vitória numa Grande Volta.

JAIME REINA

Partilhar

À quinta etapa, venceu a fuga. O cazaque Alexey Lutsenko, da Astana, que andou fugido do pelotão desde os primeiros quilómetros do dia inserido num grupo que chegou a ter 17 corredores, foi o primeiro a cortar a meta instalada em Alcossebre, esta quarta-feira, depois de 175,7 quilómetros de corrida.

É a vitória mais importante da carreira do jovem de 24 anos, que foi campeão do mundo de estrada de sub-23 em 2012.

Foi na descida do Alto de la Serratella, a quarta contagem de montanha do dia, que Lutsenko e Matej Mohoric (UAE Emirates) apanharam Marco Haller da Katusha, acabado de tentar a sua sorte a solo rumo ao final da etapa.

A 30 quilómetros da meta, o ciclista da Emirates ficou para trás e a conversa fez-se entre Haller e Lutsenko, uma dupla não muito colaborativa.

O pelotão estava a mais de 7 minutos de distância – a Sky a liderar, mas num ritmo leve - e abria-se a hipótese da camisola de vermelha mudar de dorso, já que Jetse Bol da Manzana Postobon andava em fuga e tinha menos de 5 minutos de diferença para Chris Froome.

A Sky tratou da questão já nos quilómetros finais, sem com isso tirar a Lutsenko a hipótese de festejar a etapa. Quem esteve mais perto até de estragar a festa ao cazaque foi o eritreu Ghebremedhim Kudus (Dimension Data) que ainda se lançou na subida à Ermida de Santa Lucia em busca de Lutsenko, mas sem sucesso. Foi segundo a 42 segundos do vencedor. Marc Soler Gimenez, da Movistar, ficou em terceiro.

Resolvida a etapa, faltava saber como iam chegar os favoritos à última subida do dia. O pelotão já levava nas pernas quatro contagens de média montanha e tinha pela frente uma subida curta, de pouco mais de três quilómetros, mas com uma pendente média de 10%.

Chris Froome mostrou-se de novo ao melhor nível. O britânico tem apostado no ataque como arma de defesa da camisola vermelha e tem mostrado forma para o fazer. Voltou a testar os adversários na última subida do dia e voltou a ter resposta pronta de Esteban Chaves. Tejay Van Garderen (BMC) também foi na roda, tal como Alberto Contador (Trek) - hoje em melhor plano do que em qualquer das etapas precedentes - e Michael Woods (Cannondale).

O grupo chegou à meta com 4’31 para o vencedor da etapa. Van Garderen, que quebrou ligeiramente nos metros finais, chegou com 4’39.

David de la Cruz (Quick-step), Fabio Aru (Astana), Vincenzo Nibali (Bahrain) e Romain Bardet (AG2R) perderam tempo para o líder, que aproveitou para construir uma margem mais alargada no topo. Nibali perdeu 26 segundos e Bardet quase 50.

Com a prestação de hoje, Tejay Van Garderen e Esteban Chaves conseguiram subir à segunda e terceira posições da geral, respetivamente. Woods entrou no top ten.

Quanto aos portugueses, todos perderam tempo na geral, mas de forma muito diferente. Rui Costa foi o que menos perdeu e trocou de posição com Nelson Oliveira. É agora 21º. José Gonçalves voltou a passar mal nesta etapa tendo cortado a meta com mais de 21 minutos para o vencedor.

Para esta quinta-feira, está planeada mais uma etapa de média montanha, com muitas subidas e descidas – a propósito faltou dizer que Davide Villella (Cannondale) venceu quatro das cinco contagens do dia de hoje e reforçou a liderança na montanha.

Amanhã, dizia-se, o pelotão corre entre Vila-real e Sagunt, numa etapa longa, com 204,4 quilómetros. É mais uma etapa propícia à ocorrência de fugas. Se a conseguem ou não levar até ao fim é coisa para conferir na última contagem do dia instalada a cerca de 35 quilómetros da meta no Puerto del Garbí. É uma segunda categoria e a forma como for transporta dirá muito sobre qual deve ser o desfecho da etapa. Dali até à meta será quase sempre a descer.

Classificação geral no final da 5ª etapa
1. Chris Froome (Sky) com 18h07’10’’
2. Tejay Van Garderen (BMC) a 10’’
3. Esteban Chaves (Orica) a 11’’
4. Nicolas Roche (BMC) a 13’’
5. David de la Cruz (Quick-step) a 23’’
6. Vincenzo Nibali ((Bahrain) a 36’’
7. Fabio Aru (Astana) a 49’’
8. Adam Yates (Orica) a 50’’
9. Simon Yates (Orica) a 1’09’’
10. Michael Woods (Cannondale) 1’13
...

21. Rui Costa (UAE Emirates) a 2’35
24. Nélson Oliveira (Movistar) a 2’45
53. Ricardo Vilela (Manzana) a 12’25
180. José Gonçalves (Katusha) a 38’25
184. Rafael Reis (Caja Rural) a 40’27