Tribuna Expresso

Perfil

Ciclismo

Volta a Espanha: O pistoleiro disparou, o pelotão tremeu e o líder parou. Duas vezes

Tomasz Marczynski celebrou a segunda vitória na Vuelta. Alberto Contador voltou a ser o ativista do pelotão. Fugiu e ganhou segundos a toda a gente. Só a Froome foram 40. O líder da prova teve o primeiro dia mau. Perdeu tempo e caiu na estrada.

FILIPA SILVA

Chris Froome teve vida difícil à 12ª etapa.

Team Sky

Partilhar

Alberto Contador quer ser lembrado. E por diversas vezes o disse: nada lhe dá mais prazer do que agitar uma corrida. É isso, acredita ele, que fica na memória das pessoas. Ora, na sua corrida de despedida do ciclismo profissional, o “pistoleiro” continua a impor a lei. Dividir para reinar. Ou, pelo menos, para agitar.

Esta quinta-feira, a corrida seguia calma para os homens da geral a 20 quiómetros da meta. Na frente da corrida, Tomasz Marczynski (Lotto-Soudal) ganhava vantagem sobre os companheiros de fuga e trabalhava para a segunda vitória da Vuelta.

O pelotão estava a 9 minutos, num ritmo sereno, no início da escalada ao Puerto del Torcal. Foi aí que Alberto Contador entrou em cena. No seu estilo, pôs-se de pé e atacou. Nicolas Roche (BMC) foi na roda, mas não aguentou o ritmo do corredor da Trek. O irlandês descaiu para o grupo de favoritos, Contador abriu um fosso e seguiu a solo.

À frente apanhava um companheiro de equipa, Edward Theuns, que o havia de ajudar a ganhar ainda mais vantagem sobre os concorrentes na descida rápida que se seguiu ao Torcal e na parte plana que antecedeu a meta.

Mas se o facto de Contador estar a ganhar tempo a toda a gente já era motivo para animar os quilómetros finais, o que aconteceu a Froome fez soar alarmes. O britânico teve primeiro um problema mecânico que o obrigou a parar e a trocar de bicicleta. Cerca de 100 metros à frente, caiu numa curva numa travagem mal executada que o levou ao solo. O caos parecia instalado.

Froome subiu de novo para a bicicleta e trabalhou no limite, com a ajuda de Nieve e Poels, para tentar a todo o custo minimizar os estragos de um atraso que dificilmente poderia anular nos poucos quilómetros que faltavam correr.

Marczynski a bisar

E enquanto o drama se desenrolava entre os favoritos, o polaco Tomasz Marczynski vivia mais um momento de sonho. O corredor da Lotto-Soudal, que já tinha ganho a sexta etapa, voltou a ganhar, desta vez isolado, na chegada a Antequera. Repetiu o feito de Mateo Trentin (Quick-step), também ele duplo vencedor nesta Vuelta.

O polaco festejou vivamente a vitória da etapa 12.

O polaco festejou vivamente a vitória da etapa 12.

JOSE JORDAN

Para quem nunca tinha ganho numa grande volta, somar duas etapas é um enorme feito. Atrás de Marczynski chegaram Omar Fraile (Dimension Data) e José Joaquin Rojas (Movistar). Este útlimo, entrou pela terceira vez no pódio da etapa, mas ainda não foi desta que ganhou.

Todos fizeram parte de uma fuga de 14 corredores que ganhou tempo ao pelotão ainda na fase plana da etapa que saiu de Motril.

Na meta, Contador foi 13º. O grupo de Nibali e Chaves chegou a 22 segundos do espanhol. Froome chegou a 42.

Contas feitas, Froome perdeu 20 segundos para os adversários do top ten e Nibali colocou a diferença a diferença para o líder abaixo de um minuto.

Esta sexta-feira, o pelotão vai percorrer 198,4 quilómetros entre Coín e Tomares. Uma etapa eminentemente plana, que começará contudo com uma subida de 3ª categoria. Um perfil de etapa convidativo às fugas. Um último suspiro antes das duas etapas diríssimas que aguardam os ciclistas no fim de semana.

Classificação geral no final da 12ª etapa

1. Chris Froome (Sky) com 49h22’53’’
2. Vincenzo Nibali ((Bahrain) a 59’’
3. Esteban Chaves (Orica) a 2’13’’
4. David de la Cruz (Quick-step) a 2’16’’
5. Wilco Kelderman (Sunweb) a 2'17''

6. Ilnur Zakarin (Katusha) a 2'18''
7. Fabio Aru (Astana) a 2’37’’
8. Michael Woods (Cannondale) a 2’41’’
9. Alberto Contador (Trek) a 3’13’’
10. Miguel Ángel Lopez (Astana) a 3’51’’

30. Nélson Oliveira (Movistar) a 34’03’’
36. Rui Costa (UAE Emirates) a 49’20’’
51. Ricardo Vilela (Manzana) a 1h05’12’’
137. Rafael Reis (Caja Rural) a 02h13’42’’