Tribuna Expresso

Perfil

Ciclismo

Vuelta: Froome rolou quem nem um Fórmula 1 e é ainda mais líder da Vuelta

Britânico da Sky começa derradeira semana na prova da melhor forma: venceu o contrarrelógio em Logroño e, talvez mais importante ainda, ganhou mais de meio minuto à concorrência direta na geral

Lídia Paralta Gomes

JOSE JORDAN/Getty

Partilhar

O contrarrelógio de 40,2 quilómetros começava no Circuito de Navarra e Chris Froome rolou que nem um Fórmula 1 para vencer a 16.ª etapa da Vuelta e reforçar ainda mais uma liderança da Vuelta que já era sua.

O ciclista britânico da Sky aproveitou o percurso, duro, ideal para os especialistas na matéria, para cavar ainda mais as diferenças na geral, deixando o holandês Wilco Kelderman (Team Sunweb) a 29 segundos e Vincenzo Nibali (Bahrain) a 57 segundos. Esta é a 2.ª vitória de etapa para Froome nesta edição da Volta a Espanha, prova que o ciclista nascido no Quénia quer juntar ao Tour, que também venceu. Caso aconteça, será apenas o 3.º homem a conseguir tal feito, juntando-se a uma lista de dois notáveis: Jacques Anquetil (1963) e Bernard Hinault (1978).

Quem não esteve em modo Fórmula 1, mas aproveitou para dar um grande salto na geral foi Alberto Contador, que no seu último contrarrelógio da carreira foi 5.º na etapa, mas acabou por subir do 9.º para o 5.º lugar da Vuelta, ainda que já a quase 5 minutos de Froome. A vitória está longe, mas o espanhol da Trek, na sua corrida de despedida, ainda acalenta a hipótese de subir ao pódio.

Contador subiu ao 5.º lugar da geral

Contador subiu ao 5.º lugar da geral

JOSE JORDAN/Getty

Com a vitória no contrarrelógio, uma das etapas-chave desta derradeira semana da Vuelta, a vantagem de Froome na geral face à concorrência direta já está quase nos 2 minutos. Nibali, 2.º, está a 1.58 minutos, enquanto Kelderman fecha para já o pódio a 2.40 minutos da camisola encarnada de Froome. Diferenças que, no entanto, não são ainda definitivas: há muita montanha até à chegada a Madrid.

A etapa de quarta-feira é uma das “rasgadinhas”, com chegada em alto, na categoria especial do Alto de los Machucos, com rampas que chegam aos 26% de inclinação.

Portugueses discretos

O contrarrelógio era longo e complicado e os ciclistas portugueses estiveram discretos. Nelson Oliveira foi o melhor dos quatro ainda em prova. O homem da Movistar foi 24.º, a 2.47m. Rafael Reis (Caja Rural) foi 44.º, a 4 minutos, Rui Costa (Team UAE) 54.º, a 4.31m e Ricardo Vilela (Manzana Postobón) 71.º, a 4.47m.

Classificação geral no final da 16.ª etapa

1. Chris Froome (Sky), 62:53:25h
2. Vincenzo Nibali (Bahrain-Merida), a 1:58 m
3. Wilco Kelderman (Team Sunweb), a 2:40 m
4. Ilnur Zakarin (Katusha), a 3:07 m
5. Alberto Contador (Trek), a 4:58 m
6. Miguel Angel Lopez (Astana), a 5:25 m
7. Fabio Aru (Astana), a 6:27 m
8. Wout Poels (Sky), a 6:33 m
9. Esteban Chaves (Orica), a 6:40 m
10. Michael Woods (Cannondale), a 7:06 m

(...)

35. Nelson Oliveira (Movistar), a 1:18:56 h
39. Rui Costa (UAE Emirates), a 1:24:19 h
47. Ricardo Vilela (Manzana Postobon), a 1:45:07 h
130. Rafael Reis (Caja Rural), a 3:19:36 h