Tribuna Expresso

Perfil

Ciclismo

Giro de 2018 vai começar em Jerusalém, a mais de 3500 quilómetros de Itália

Depois do arranque em Belfast em 2014, a primeira das três grandes voltas do calendário vai ainda mais longe: a Israel

Lídia Paralta Gomes

LUK BENIES/Getty

Partilhar

As grandes voltas há muito que deixaram de ser de um país apenas. Em 1954, já o Tour andava a começar em Amesterdão e até Lisboa já conheceu uma partida da Vuelta, em 1997 - foi aí também a primeira vez que a Volta a Espanha começou fora do território espanhol.

Pois bem, o Giro gosta de ir mais além. Literalmente. E depois de em 2014 a Volta a Itália ter arrancado de Belfast, na Irlanda do Norte, a qualquer coisa como 2500 quilómetros de Roma, no próximo ano o arranque será em Jerusalém, que dista a mais de 3500 quilómetros da capital italiana.

Será a primeira vez que uma das três grandes voltas começa fora de território europeu. O itinerário completo da passagem por Israel ainda não é conhecido - o Giro 2018 só será apresentado oficialmente na segunda-feira -, sabendo-se apenas que haverá um total de três etapas no país e que o início está marcado para as imediações da Cidade Velha de Jerusalém, avançou o site especializado Cyclingnews.com.

O mesmo site assegura que o governo de Israel vai contribuir financeiramente para o arranque da prova em Jerusalém e será também responsável pela segurança, numa das zonas do planeta mais voláteis neste particular. Sendo um dos maiores eventos desportivos a ter palco em Israel, estará a ser preparada uma operação de segurança a condizer.

Esta será a 12.ª vez que o Giro arranca fora de Itália.