Tribuna Expresso

Perfil

Ciclismo

Foram sete os segundos que afastaram Nelson Oliveira de uma medalha nos Mundiais

Ciclista português da Movistar foi 4.º na prova de contrarrelógio dos Mundiais de Bergen. Tom Dumoulin sagrou-se campeão do Mundo, à frente de Primoz Roglic e de Chris Froome

Lídia Paralta Gomes

JEAN-SEBASTIEN EVRARD/Getty

Partilhar

Faltou um bocadinho assim. Nelson Oliveira ficou esta tarde a um pequeno passo (de 7 segundos) de uma medalha na prova de contrarrelógio dos Mundiais de ciclismo, que estão a decorrer em Bergen, na Noruega.

O ciclista português, 7.º nos últimos Jogos Olímpicos e também 4.º nos Europeus do último ano, ficou apenas atrás de um trio de luxo: o holandês Tom Dumoulin, vencedor do Giro, do esloveno Primoz Roglic e do britânico Chris Froome, vencedor do Tour e da Vuelta.

Nelson Oliveira ficou apenas a 7 segundos de Froome, numa corrida em que optou por trocar de bicicleta na parte final do percurso de 31 quilómetros. Isto porque a meta estava instalada no Monte Floyen, uma subida pouco normal num contrarrelógio de campeonato do Mundo e que tinha até suscitado críticas do ciclista da Movistar. Oliveira terá ainda beneficiado da chuva que se abateu sobre Bergen quando os maiores favoritos saíram para a estrada.

Gostando ou não do percurso, o certo é que Nelson Oliveira apostou numa estratégia certa e que por pouco não lhe garantia uma medalha. Garantiu, isso sim, o melhor resultado de sempre de Portugal em provas de contrarrelógio em Mundiais de estrada.

"A verdade é que não estava à espera de fazer este resultado, mas senti-me bem em todo o percurso. Sabia que tinha de regular para a última subida. Muitas pessoas vão perguntar se a troca de bicicleta foi uma boa opção. Perdi algum tempo na mudança, mas foi a melhor decisão. Tenho a certeza de que, com a bicicleta de contrarrelógio não faria a subida que fiz. Reconheço a chuva na última série pode ter-me favorecido", disse o ciclista da Bairrada em declarações à Federação Portuguesa de Ciclismo.

Rui Costa também participou no prova de contrarrelógio, tendo terminado em 33.º lugar, a 3,10 minutos de Dumoulin.