Tribuna Expresso

Perfil

Entrevistas Tribuna

A melhor jogadora do mundo está em Lisboa. Para jogar e ver Ivete Sangalo

Chama-se Marta e no Brasil comparam-na a Pelé, por ter conquistado cinco Bolas de Ouro consecutivas. Está em Lisboa para disputar a final da Liga dos Campeões feminina, no Restelo, e o Expresso conversou com ela

Mariana Cabral

Partilhar

Ponto prévio. Marta Vieira da Silva não foi, oficialmente, considerada a melhor futebolista de 2013 pela FIFA. Essa foi a guardiã alemã Nadine Angerer, devido ao Europeu feminino. Mas é impossível não qualificar de melhor do mundo a virtuosa Marta, a única (entre mulheres e homens) com cinco Bolas de Ouro consecutivas.

No Brasil chamam-lhe "Pelé de saias", tal a criatividade com o esférico dentro de campo. Mas podiam chamar-lhe só "boa onda", tal a alegria que tem a falar fora de campo. O Expresso conversou com ela sobre a final da Liga dos Campeões feminina, marcada para esta quinta-feira, no Estádio do Restelo, às 19h30 (Eurosport).

As suecas do Tyreso, a equipa de Marta, vão tentar roubar o título europeu às alemãs do Wolfsburgo. E depois do jogo há tempo para um concerto de Anselmo Ralph. "Quem?", pergunta Marta. O Expresso responde, numa entrevista que também tem Cristiano Ronaldo e Mundial à mistura, e deve ser lida com sotaque brasileiro.

Já que começamos pelas fotografias antes das perguntas, digo-te que tens jeito, se calhar podes ser modelo quando acabares a carreira. É, 'né'? (risos) Tem de fazer pela vida, caso contrário... ferrou. Olha Mariana, eu não falei já com você hoje? Parece que já.

Comigo? Ainda não, estive aqui à espera para ser a última para falarmos mais. Estás a falar com os jornalistas há quanto tempo? Ui, desde há umas duas horas. Jornalista de todo o mundo.

Já te devem ter perguntado as mesmas coisas 20 vezes. 'Shiiiit', já falaram tudo igual. Mais sobre o jogo e sobre a Copa do Mundo. E sobre o que eu vou fazer depois disso. Nem eu sei, como é que eu vou responder? (risos)

Já tinhas estado em Lisboa? Não para ficar. Estive só para dormir uma noite e viajar no dia seguinte, e então não consegui fazer nada. Essa é a primeira vez.

Foste passear pela cidade? Fui passear ontem (terça-feira), sim. Fui para Rrrrrroo... É, o centro...

Para o Rossio? É isso aí. Passei por onde vão fazer as festas dos fãs, pelo centro, e fui ao Colombo, ao shopping perto do Estádio da Luz. Demos uma volta boa, mas terei tempo para ver outros lugares também depois da final.

Ouvi dizer que vais ficar para ir ao Rock in Rio. Você sabe isso? (risos) É, vou ficar uns dias. Estou a ver com o meu amigo. É provável, porque quero ver a Ivete (Sangalo)!

Falaste no Estádio da Luz. Conheces os clubes portugueses? O Benfica, o Sporting Cristal...

É só Sporting. Ah, isso. E o Porto.

Conheces brasileiros que jogam em Portugal? O Luisão. Acho que agora só conheço o Luisão. Antes sabia que o Hulk também jogava aqui. E o Liedson também jogou muitos anos. Ah, e o Pepe também, veio jogar aqui no começo. Depois ficou e se naturalizou e agora é mais português que brasileiro. (risos)

Gostavas de viver em Portugal? Para morar aqui... é uma cidade bem bonita, com um clima bem próximo ao nosso clima no Brasil. Mas hoje está 'ventando', hein? Mas é uma cidade muito bonita, bem interessante para se viver.

E a Suécia, onde vives agora? A Suécia também tem os seus lugares bonitos. Por exemplo, Estocolmo é a cidade mais bonita da Suécia e também uma das cidades mais bonitas da Europa. Maaaaaas... o mais 'ruinzinho', que te deixa um pouco para baixo às vezes, é o frio. Na época do inverno, brrrrr... Aí fica pesado. Não gosto muito porque tem que colocar muita roupa. Você perde cinco minutos só colocando roupa em cima de roupa (risos).

Disseram-me que és das que faz mais festa na equipa, é verdade? Eu?

Que animas o balneário. Digamos que sou uma pessoa feliz, sou muito alegre, e então tento transmitir essa minha felicidade para as minha companheiras, porque acho importante que tenhamos momentos de descontração na 'equipe', para que não fique 24 horas focado numa coisa só - acho que isso até pode atrapalhar um pouco. Então um pouquinho só de descontração e brincadeira não faz mal a ninguém.

Mas estão focadas em roubar o título europeu ao Wolfsburg, que é favorito. Elas são favoritas, com certeza, muito favoritas. É o melhor 'time' que tem na atualidade. Eu acho que a gente tem condições de fazer bonito nessa final e terminar com o título. Mas para isso temos de fazer dentro de campo, não adianta a gente falar, falar, e na hora de jogar, não jogar. Sabemos que vai ser muito difícil, porque a 'equipe' delas é muito forte, mas chegamos até aqui e isso é porque temos algo especial.

O Tyreso está com graves problemas financeiros e se calhar vai encerrar. Tu és uma das melhores do mundo e podes ir jogar para onde quiseres. Tens propostas de todo o lado? Olha, a única certeza que eu tenho é que irei voltar à Suécia para resolver algumas coisas lá, porque tenho lá a minha vida toda. Porém, depois terei que ir para o Brasil porque eu tenho trabalhos já firmados há muito tempo para a Copa do Mundo, com os meus patrocinadores. E depois o que vai acontecer é uma coisa que eu ainda não tenho respostas para isso. Mas posso dizer que já temos algumas conversações com alguns clubes de vários países, porque para permanecer no Tyreso acho que não tem mesmo condições, pela situação do clube.

Não há dinheiro, portanto. Agora é hora de focar naquilo que eu tenho pela frente, que é um grande jogo amanhã (quinta-feira). Quero fazer bonito para que possa terminar esse trabalho com todo esse grupo maravilhoso que formámos aqui com algo positivo, com boas lembranças para o futuro.

Ainda não treinaste esta semana. Vais jogar na final? É, eu espero. Estamos aí a testar para ver se há condições, mas eu acredito que sim.

Levas muita porrada? Muita quê?

Porrada, muitas pancadas. Ahhhh, muita mesmo, demais. Algumas até desleais. Mas faz parte do jogo, em homens e mulheres. Os jogadores quando começam a sobressair têm logo mais probabilidade de apanhar mais e os adversários preocupam-se mais contigo. É o que acontece no alto nível, com o Cristiano (Ronaldo), por exemplo, Neymar, Messi... enfim. São jogadores que são sempre mais visados dentro de campo e acabam sofrendo mais.

Falaste em três dos melhores jogadores do mundo. De qual gostas mais? É assim, eu gosto do Neymar, 'né', por ser brasileiro e tudo mais. Porém, eu sou mesmo fã do Cristiano, é o melhor do mundo. Eu acompanho o Cristiano desde que chegou ao Manchester, fui sempre seguindo a carreira dele. Já o conheci nas galas da FIFA, tivemos oportunidade de conversar e ele é sempre muito simpático, nada convencido.

Tu és embaixadora do Mundial. O que é que se passa no Brasil, que é um país que associamos sempre ao futebol, mas que agora parece que não quer o Mundial? Isso eu acho que não é a maioria. É uma percentagem do povo brasileiro que está contra a Copa. Mas acho que a Copa em si não é o problema maior do Brasil. O problema do Brasil é realmente de muitos anos atrás, pelas más administrações, e a falta de estruturas que temos não é de dois ou três anos, já vem de há muito tempo. Só que o povo aproveitou o evento que vai passar em todo o mundo, com todas as pessoas que estão vendo, para reivindicar.

Não concordas? Acho que não é o momento certo. A reivindicação a gente tem de fazer todos os dias, para melhorar o nosso país. A Copa não é a maior culpada disso tudo. Se tiver que cobrar, que a gente possa cobrar o ano inteiro, não precisa cobrar num evento desses. Porque o futebol sempre serviu para unir as pessoas e passar energias positivas, para dar alegria, e não para a desordem e para a violência. Eu sou a favor dos protestos e das melhoras do nosso país, porque eu sou brasileira e quero o melhor para o meu país, mas acho que o ideal não é fazer isso num evento destes. Nós que adoramos o 'esporte' enxergamos o futebol como um evento de paz.

Estou a sentir aí um discurso muito popular... Se calhar o teu futuro é na política. (gargalhadas) Todo o mundo fala isso! Não sei não. É muito difícil você falar que gostaria de ser ou não ser. O que eu sei é que sou uma pessoa que sempre batalhei muito para tudo, para o crescimento da minha modalidade, para eu mesmo, a minha pessoa, poder jogar e sobressair. Eu brigava com as pessoas que não queriam que eu jogasse bola quando era nova, eu discutia, eu queria mostrar que tinha capacidade. Quando alguém falava mal, eu queria fazer outras coisas diferentes para mostrar que conseguia o contrário daquilo que eles estavam criticando... Então para mim esse discurso acaba por ser uma coisa muito natural, mesmo que seja de política. Mas política de um modo diferente do político mesmo que sobe lá no palanque e fala que vai fazer isso e aquilo.

O futebol no feminino tem crescido muito recentemente. Sabes quem é a Helena Costa, que vai treinar uma equipa masculina em França? Sim, fiquei muito feliz com essa notícia e espero que ela seja a primeira de muitas mulheres a fazer isso, porque não tem qualquer problema.

E o Anselmo Ralph, sabes quem é? Quem?

Vai dar um concerto no estádio logo após a entrega de troféus do jogo. Não sei quem é...

É um cantor angolano... Ah, de Angola? Então deve ser música boa! As músicas de Angola são muito boas (risos). Tomara que a gente possa dançar no ritmo do Anselmo com a taça na mão. Porque perder é... (pausa) É muito ruim.