Tribuna Expresso

Perfil

Entrevistas Tribuna

O sócio do FC Porto que escreveu uma carta a Pinto da Costa a pedir a sua demissão: “Os emails não ganharão jogos nem trarão reforços”

David Schneider insurgiu-se contra Pinto da Costa numa carta aberta e explica à Tribuna Expresso que pondera candidatar-se à presidência do FC Porto, culpando presidente e SAD pela “má gestão” que levou à atual seca de títulos

Isabel Paulo e Lucília Monteiro

David Schneider é vice-presidente executivo da Li&Fung

Lucilia Monteiro

Partilhar

É provável que não o conheça, mas ele apresentou-se aos portistas quando, no mês passado, publicou no jornal "A Bola" uma carta aberta a Pinto da Costa, pedindo a sua demissão.

Ele é David José Guedes Schneider da Silva, tem 50 anos, nasceu Casa de Saúde da Carcereira, no Porto, e é vice-presidente executivo da Li&Fung, uma multinacional de compras têxteis, com sede em Hong Kong,

É sócio do FC Porto há quantos anos?
Sou sócio há 25 anos.

A paixão é hereditária?
A paixão pelo FC Porto é seguramente hereditária. O meu Avô era um grande oortista. O meu oai é igualmente um fervoroso adepto do FC Porto. E os meus quatro filhos, como não poderia deixar de ser, também são 'doentes' pelo FC Porto.

Jogou futebol?
Joguei futebol na escola primária, liceu e faculdade, sempre no meio-campo.

Tem lugar anual no Dragão? Vai às provas europeias?
Tenho cinco lugares. E apesar de viajar muito, tento não faltar a um jogo no Dragão. Tive a felicidade de ir a todas as finais de competições europeias em que o Porto participou. A minha maior tristeza foi a final de Basileia, por termos perdido e pela forma como perdemos. E tive as maiores alegrias de todas nas finais de Viena e em Gelsenkirchen.

O que o levou a optar por um espaço pago num jornal ("A Bola") para desafiar Pinto da Costa a demitir-se, lançando-se como alternativa?
Em primeiro lugar, por uma questão de transparência, quero referir que a publicação desta carta aberta foi paga. Por outro lado, "A Bola" apresentou-me uma proposta com a melhor relação preço/nº de leitores. E apesar deste jornal desportivo ter uma relação algo conturbada com o FC Porto, a realidade é que lá escrevem cronistas que são portistas ilustres. E para além do mais, o senhor Vitor Serpa, director deste jornal, ainda não há muito tempo foi um convidado da gala dos Dragões de Ouro, o que indicia que as relações institucionais estarão normalizadas. Além disto, o presidente Pinto da Costa e a SAD têm sido criticados por muita gente nas redes sociais. E como o Presidente já referiu que não frequenta estes espaços virtuais, entendi que esta comunicação via um jornal em formato papel seria uma maneira leal e frontal de lhe exprimir o que eu e muitos sócios sentem e querem.

DR

Porquê agora?
Porque deixei de acreditar que esta SAD consiga dar a volta à situação calamitosa a que conduziu o FC Porto. São demasiados erros. São demasiados silêncios. Acho que os sócios merecem mais respostas, mais transparência e menos negócios incompreensíveis. Apesar do enorme respeito e gratidão que tenho pelo presidente, há demasiados interesses à sua volta a impedi-lo de ter uma liderança eficaz e eficiente como nos habituou. Chegou a hora de actualizar a estrutura e devolver o clube e a SAD ao caminho do sucesso.

Foi votar nas últimas eleições?
Sim. Recordo-me perfeitamente do dia da votação porque fui confrontado com um cenário de eleições incompreensivel a todos os níveis. Tínhamos boletins de voto de cores distintas. Não havia qualquer quadrado para marcar um X no boletim de voto. Um dos boletins era azul escuro, o que dificultava a definição da intenção do voto. No momento em que fui votar, o presidente que era simultaneamente candidato encontrava-se dentro da sala de votação em amena cavaqueira com mais duas pessoas, esquecendo-se que deveria estar fora dessa zona. Um dia profundamente triste mas em que percebi que o nosso Porto precisava de mudanças drásticas sob pena de se afundar rapidamente.

Por que razão não foi a votos em abril do ano passado? Pinto da Costa desafiou mesmo os críticos a irem a votos em vez se só falarem e discordarem.
Nesse período, eu ainda acreditava que fosse possível que o presidente e a SAD dessem a volta ao descalabro financeiro e desportivo a que conduziram a SAD. E por outro lado, o campeonato ainda decorria, pelo que não era o momento de criar instabilidade adicional.

Na carta aberta que escreveu ao presidente pede-lhe que se demita do clube e da SAD e diz que a massa associativa que tanto o idolatra e tanto o apoiou "anseia por este último gesto de um homem que da lei da morte há muito se libertou". Por que razão deve abdicar?
No dia em que a UEFA castigou a FC Porto SAD pelo incumprimento do fair play financeiro, o presidente deveria ter imediatamente apresentado a sua demissão da SAD e do clube. Este castigo da UEFA representa a falência de toda a estratégia e do modelo operacional desta SAD. A título de exemplo, eu recordo que o primeiro-ministro José Sócrates se demitiu antes de a troika entrar em Portugal. Fez a sua obrigação por reconhecer a sua incapacidade para ultrapassar a situação. E por reconhecer a sua quota de responsabilidade no descalabro financeiro do país. No caso do FC Porto, não há demissões e optou-se por um manto de silêncio ensurdecedor, o que é triste, pois se o FC Porto muito deve ao Presidente, não é menos verdade que o Presidente também tem uma grande dívida de gratidão para com o FC Porto e para com todos aqueles que o ajudaram nesta grande caminhada. E, lamentavelmente, neste momento, eu e muitos portistas sentimos que os interesses do presidente e da sua equipa não coincidem com os interesses superiores do FC Porto. Tanto mais que o presidente teve todo o tempo do mundo para preparar a sua sucessão de forma tranquila, optando por não o fazer, ao arrepio da opinião da maioria dos portistas.

Na sua carta aberta diz que caso Pinto da Costa se demita e na ausência de candidaturas viáveis se apresentará como alternativa. Porque acha que os sócios votarão em si?
Paixão, competência e seriedade. Três referências, três constantes no meu percurso profissional de sucesso e que estarão seguramente presentes numa lista alternativa que eu venha a apresentar.

O que é para si uma alternativa viável? António Oliveira, Vítor Baía?
O mais importante é o projecto e as pessoas que se predispõem a executá-lo. Uma solução sustentável não terá que passar necessariamente por alguém com um passado desportivo no clube ainda que esse facto possa ser um ponto positivo. António Oliveira, Vítor Baia, Rui Moreira são boas alternativas!

Caso um dia seja eleito será um presidente a tempo inteiro? Com salário?
A presidência do FC Porto é seguramente um trabalho remunerado a tempo inteiro. Agora, com as atuais debilidades financeiras do FC Porto, sendo eu eleito presidente da SAD, a massa salarial da administração da SAD será imediatamente reduzida. Aliás, considero ofensivo para todos os portistas que a atual administração da SAD ainda não tenha reduzido o salário mensal dos administradores, quando todos os administradores executivos são responsáveis diretos pela atual situação financeira catastrófica das contas da SAD.

David Schneider tem 50 anos e nasceu no Porto

David Schneider tem 50 anos e nasceu no Porto

Lucilia Monteiro

Está disposto a esperar até 2020, ano das próximas eleições?
Isso dependerá de muitos factores. Aguardemos.

O que levou o FC Porto a quatro anos de seca de títulos?
Basicamente, má gestão.

Quem são os culpados?
O presidente e a restante equipa da SAD.

A saída de Antero Henrique foi um sinal que algo vai mal no Dragão?
Sinceramente não sei. Esta saída nunca foi explicada aos sócios quer pelo senhor Antero quer pelo presidente. Tal e qual como tem acontecido noutras situações, o silêncio imperou e impera como se isso apagasse o que quer que seja.

Intervencionada pela UEFA, como pode a SAD dar a volta às contas no vermelho? Um acionista externo é solução?
Como já lhe referi, não reconheço a esta SAD os atributos para dar a volta à situação. Os associados têm que ter presente que para além dos sucessivos prejuízos, a dívida da SAD e os juros têm aumentado de forma descontrolada. E isso é um peso terrível para a SAD, que se vê na obrigação de hipotecar ativos, pedir novos empréstimos para pagar velhos empréstimos e de antecipar receitas futuras. Na prática, assistimos a uma fuga para a frente que muito penalizará a equipa de gestão que venha a substituir esta SAD numas eleições futuras. Muito sinceramente, se não houver mudanças de fundo rapidamente, os meus filhos não terão sequer metade da felicidade que eu tive nos últimos 30/40 anos. Na atual conjuntura, nenhum acionista externo credível aceitará investir numa SAD como a do FC Porto, pois as contas são péssimas. Há que ter presente que o FC Porto é um clube grande na Europa mas que pertence a um pequeno país que passa por graves dificuldades económicas, sociais e políticas. E que por isso é menos apelativo para investidores institucionais.

Acredita que o FC Porto vai ser capaz de cumprir as regras do fair play financeiro?
Quero acreditar que sim, mas tenho fortes dúvidas. Se assim não fosse, o dr. Fernando Gomes já teria vindo a terreiro explicar alguma coisa. Mas, como em outras situações, o silêncio impera.

Com uma única transferência de de vulto (André Silva) e vendas aquém das expetativas, como vai o FC Porto sair da falência técnica?
André Silva foi vendido por €38 milhões. Mas quanto é que o FC Porto vai realmente receber desta venda depois de descontadas as várias comissões e as percentagens do passe deste? Eu duvido que o Porto receba mais de €28 milhões no final de toda esta operação. E estamos a falar de um atleta formado na casa, do qual deveríamos ter 100% do passe e não tínhamos. Por outro lado, temos poucos jogadores cuja venda permita um encaixe financeiro substancial, o que trará ainda mais pressão sobre a tesouraria no curto prazo. Quem pode parar toda esta situação são os associados do FcPorto.

Até agora a equipa portista é a única que não contratou jogadores (apenas o guarda-redes Vaná ao Feirense). É a estratégia certa?
Quando não se tem dinheiro, não se pode contratar jogadores. A estratégia pura e simplesmente não existe. Sobrevive-se um dia de cada vez. Acredito que ainda cheguem alguns jogadores, nomeadamente na modalidade de empréstimo. De qualquer forma, o atraso na construção do plantel desta época é um facto extremamente negativo e paradigmático da incapacidade desta SAD para dar a volta a esta situação.

Sérgio Conceição é o treinador certo no banco certo?
A partir do momento em que foi contratado, passou a ser o meu treinador. E se ele for feliz, eu também serei feliz! Agora não contem comigo para atirar culpas de eventuais desaires para cima do Sérgio. Numa conjuntura muito difícil, ele mostrou coragem e agora temos todos que o apoiar.

MIGUEL RIOPA/AFP

Concorda com as críticas do FC Porto ao Benfica?
Totalmente. Os paladinos da transparência e da verdade afinal tinham um lado negro. Bem negro, que compromete a integridade das competições organizadas pela LPF e pela FPF.

O caso dos e-mails é equiparável ao Apito Dourado?
O Apito Dourado foi um processo que já terminou e no qual quer o FC Porto quer os seus dirigentes/administradores foram totalmente ilibados das acusações que pendiam sobre eles. E por isso o Apito Dourado é um processo enterrado. Já o caso dos emails é um caso em aberto sobre o qual a justiça terá que decidir. No entanto, o que foi até à data revelado afetará certamente a forma de trabalhar do Benfica na próxima época. E isso já é um passo muito positivo. Mas não nos iludamos: Portugal não é a Noruega, a Dinamarca ou a Alemanha. E por isso não há que ter ilusões quanto ao desfecho deste caso na justiça desportiva. A luta continuará e no final será decidida nos relvados de norte a sul do país. Os emails não ganharão jogos nem trarão reforços para o Sérgio Conceição. E por isso, este caso apenas enfraqueceu o Benfica mas não fortaleceu de todo o FC Porto.

O Benfica controla os órgãos que decidem o futebol português?
Não diria que controla. Mas condicionou de forma clara e objectiva alguns decisores do futebol português. O que é extremamente grave, pois desvaloriza as competições e lança fortes dúvidas sobre a credibilidade das competições futebolísticas em Portugal. E, por isso, fiquei muito admirado por a Federação Portuguesa de Futebol, na pessoa do dr. Fernando Gomes, não ter tomado uma posição mais assertiva relativamente a todo este escândalo.

E concorda com a aliança com o Sporting?
Não me parece que haja uma aliança com Sporting. Muito pelo contrário. Momentaneamente, os interesses convergem. Dentro de algumas semanas, ao mínimo problema dentro de um qualquer relvado, toda esta aparente amizade desaparecerá.

Que planos imediatos imporia no FC Porto?
Primeiro, comunicação efectiva com os associados do FC Porto porque basta de mentiras e de silêncios. O que se passa atualmente é uma falta de respeito total pelos associados. Ninguém dá a cara para explicar o que se passa ou o que se passou. A SAD age como se nós, associados, não existíssemos ou como se fossemos meros clientes de serviços que eles prestam. Depois, auditoria às contas da SAD: há muita coisa por explicar nas contas da SAD. Por exemplo, eu não percebo porque é que não tínhamos 100% do passe do Rúben Neves e do André Silva quando estamos a falar de atletas que fizeram todo o seu percurso competitivo no FC Porto. Faz sentido ceder 5% do passe a um intermediário para renovar com um jogador de 17 anos, que por acaso era das maiores promessas do futebol mundial? Por exemplo, não percebo porque é que continuam a chegar contentores de jogadores estrangeiros aos escalões de formação, onde incluo a equipa B, sem que se aproveite um jogador que seja para amostra. Sendo a situação tanto mais grave quanto o único jogador com talento acima da média que cá chegou tenha sido dispensado (Seri). Por exemplo, eu não percebo porque é que temos de pagar várias comissões a diferentes empresas/empresários na venda de um jogador. Infelizmente, há muito mais factos estranhos para explicar, daí a necessidade urgente de uma auditoria às contas para se perceber rapidamente onde temos de cortar custos para estancar a hemorragia financeira. Em função da auditoria, definir um plano estratégico de reequilíbrio das contas. Porque sem equilíbrio financeiro, não há qualquer possibilidade de voltarmos a ter uma equipa competitiva no espaço europeu e de sermos dominantes em Portugal. O plano terá que abarcar forçosamente o reposicionamento da formação, o desenvolvimento da marca Porto, a reorganização do scouting interno, a redução dos profissionais com contrato com a SAD, etc. E temos de recuperar o espaço de participação perdido na Federação Portuguesa de Futebol e na Liga Portuguesa de Futebol.

Os sócios perdoarão a Pinto da Costa se o Benfica vencer o penta?
Os sócios do FC Porto são pessoas de bem, que nutrem pelo presidente uma enorme gratidão e admiração. E, por isso, o perdão será certamente concedido mas não esquecido. Quanto aos restantes elementos da SAD já tenho muitas, muitas dúvidas.

Partilhar