Euro 2016

Perfil

  • Mais bonito do que o golo de Éder foi o seu sorriso desbragado, a desenvencilhar-se de um e de outro, como quem fugia do dono do armazém que tivera a janela quebrada. Corria para abraçar a glória (esta é uma crónica para ler com sotaque, porque Portugal celebra-se no mundo inteiro e com os sotaques todos)

  • Depois da euforia nas ruas com a chegada da seleção, caiu-nos no mail um texto de alguém que dizia ter sido capitão da equipa onde Éder jogou quando era miúdo. Confirmámos a história e pedimos para refazer o texto que nos tinha chegado à caixa de correio. O resultado está aqui - e traz revelações nobres sobre o homem que marcou o golo da final

  • Na hora da vitória, Éder não se esqueceu dela e disse que Portugal tinha de a conhecer. Falou numa Susana e aqui está ela. A mulher que o ajudou Éder, a deixar o passado para trás e a encontrar o caminho do sucesso. Ela diz presente sempre que ele precisa: ontem saiu às três da manhã do estádio, hoje foi buscá-lo no fim da marcha triunfal. É treinadora de mentalidades, muda comportamentos. Mas o encontro dos dois deve-se à Ritinha, personagem principal nesta história que ainda ninguém conhece

  • Ricardo Costa. Pedro Santos Guerreiro. Mariana Cabral. Pedro Candeias. Luís Pedro Nunes. Um Azar do Krajl. Lá Em Casa Mando Eu. Reações. Fotogalerias. Humor. Análise. A carta de Fernando Santos. A reza de Ronaldo. Porque o dia é histórico, temos uma edição histórica do Expresso Diário - gratuita. É só abrir, ler e emocionar-se. É o primeiro Expresso Diário neste país campeão da Europa

  • Beto diz que faz parte do grupo da seleção “desde 2008, 2009”, acompanhou o arranque desta qualificação, viu o que Fernando Santos trouxe de diferente, ficou fora do Euro por lesão, e é, por isso, o homem certo para falar sobre o que se passa lá dentro — mesmo que, avisa, não possa dizer tudo

  • É hoje. Portugal e França disputam o jogo mais desejado e o sentimento é de ansiedade crescente entre os expatriados. Na procura pelo objetivo máximo, duas nações sustêm a respiração. Palavra a quem vive por fora

  • Portugal volta a defrontar uma seleção que lhe anda atravessada desde 1984, a França, num jogo muito especial para os emigrantes portugueses no país

  • O maior mérito de Fernando Santos foi tranquilizar-nos desde o início – acho que nunca mais esqueceremos a frase “Só volto no dia 11 de julho”.

  • Marco Grieco, diretor de arte do Expresso,escreveu um poema que embala Portugal até à final

  • Jornal “Daily Mirror” desfaz o mistério sobre as palavras de conforto do capitão português enquanto abraçava o colega madrileno Gareth Bale, que esta quarta-feira disse adeus à aventura galesa em França

  • Portugal 2-0 País de Gales. Pepe não recuperou e teve de assistir à passagem à final do lado de fora

  • Portugal está nas meias-finas sem ganhar um único jogo nos 90 minutos regulamentares. A seleção nacional precisou sempre de um prolongamento para estar entre as quatro melhores da Europa.

  • Nani vai jogar no Valência. O clube espanhol anunciou acordo para três temporadas e o internacional português já se despediu dos turcos no Facebook

  • Descanso à mão esquerda de Patrício, ao pé direito de Quaresma e a todos os outros de que não se fala aqui. A verdade é que Fernando Santos sabe mais do que aquilo que mostra; Pepe mostra tudo aquilo que sabe; Renato, já sabemos, é tudo o que mostra. E Cristiano mostrou que também sabe

  • Leia a crónica sobre Cristiano Ronaldo escrita pela jornalista do Expresso nascida no Brasil que partilha com ele um nome e o futebol

  • Miguel Cadete, Diretor Adjunto do Expresso, foi a Paris ver o jogo Portugal-Áustria e de lá voltou com a impressão de que há coisas que podiam estar bem melhores